06 maio 2015

Simples

O meu problema é que me entrego a esperanças. Passei os últimos anos à procura de melhorar alguma coisa na minha vida e de todas as vezes que me vi em mudança, perante a oportunidade de ter qualquer coisa em bom, achei "desta é que é". Não foi. 
Lobos em pele de cordeiro. Até eu me vesti de cordeiro para depois trocar as voltas aos planos que tracei, e foi sem querer. Claro que sim, mas nunca nada tem o propósito de me estragar os planos de ser feliz e contente. 
Ganhei algumas coisas, pois claro que sim. Conquistei quase todas, algumas com muito custo e outras com menos. Um par de coisas foram servidas pelo karma sem que tivesse de as pedir, como o biscoito que se dá ao cão só porque sim. 
É bom quando chega a perspectiva de sair do caminho de terra e entrar na estrada. Depois estico-me e acho que lá porque a estrada é alcatroada posso ir sempre em frente. 

É isso. 

5 comentários:

Laetitia disse...

Para a frente é o caminho, mas tens de ser tu a dona do teu destino.

Di disse...

Não sei bem como dizer isto sem recorrer aos tão usados clichés que por aí encontramos. Posso apenas dizer-te que há uns aninhos, já tu me conhecias mas ainda sem muito falarmos e a minha vida parecia traçada: acabar o curso, fugir para a terra, casar, trabalhar numa coisa qualquer, ter bebés. Algum tempo depois estava em Itália a pensar 'oh céus, se o mundo não tivesse desabado eu estaria provavelmente grávida e longe da oportunidade de viver tudo isto'. Permite-te ter algo que não é o que planeavas, talvez haja aí um pezinho do destino a querer trocar-te as voltas e és tu contra o universo em vez de permitires que haja algo de novo a acontecer. Honestamente acho que és mais e mereces mais do que aquilo que te vejo 'querer'.

Mnemósine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mnemósine disse...

Thing is Di: This is not only love related
Everything i was ever promised failed to be.

GATA disse...

A esperança é uma droga que nos mantém presos a uma ilusão. Eu digo muitas vezes que perdi a esperança mas, quando dou por mim, estou 'agarrada'... :-(