28 junho 2012

6 comentários


Experimentamos?

27 junho 2012

Importante:

0 comentários
Empilhar papeis não é arrumá-los. É complicar a vida a uma pessoa que sabe onde tem as coisas.
Pegar em papéis empilhados e meter-lhe coisas em cima não é arrumar. É esfrangalhar os nervos a quem precisa dos papéis onde os tinha deixado, à mão e ordenados (ainda que espalhados).

Keep calm and stay away from my stuff.

(dizer as coisas de forma educada ou indirecta dá-me úlceras. Ou pelo menos eu imagino que sim. É por isso que tenho um blog com este nome)

26 junho 2012

Os fãs que me desculpem

4 comentários
Mas ver a Madonna vestida de cheerleader foi das coisas mais tristes que me aconteceu nos últimos tempos. E olhem que eu tenho tido uns dias difíceis (calha a todos). 

21 junho 2012

3 comentários
Uma pessoa percebe que está a ficar chalupa quando profere coisas deste género:

"A tua câmara tem máquina?" (a tua câmara/máquina fotográfica tem bateria?)

"Tens ali um cartão multibanco." (ATM)

"Disse à X que me tratasse disso" - e estar a dizer isto a quem? À pessoa X. Pior? Repetir, 2 dias seguidos. Com a mesma pessoa.


20 junho 2012

Canseira por antecipação

5 comentários
Vou passar o fim-de-semana fora - yupi yay (not) - e como até sexta não vou ter tempo de preparar absolutamente nada optei por fazer uma lista detalhada do que preciso pôr na mala. Para não dar asneira.
Só de escrever cansei-me. Isto não compensa nada. A sério, levo tanta coisa na mala para 2 duas noites como para 1 semana (mais roupa, menos roupa... mas eu sou pequena a minha roupa ocupa menos espaço que o resto).

19 junho 2012

A crise (de noções básicas)

6 comentários
Vi na montra de uma loja uma tshirt de criança com a seguinte frase estampada:
"Ando teso mas não é da crise"

Devem questionar-se porque não vendem... isso sim, devem atribuir à crise.

18 junho 2012

Ugh!

3 comentários
Irritam-me as pessoas que tendo um problema perdem horas a lamentar-se mas nem um segundo a tentar resolve-lo.
Demorando eu menos de 5 minutos a solucionar uma questão que levava já horas em modo drama, sinto-me tão frustrada com a atitude... Please, help yourself. 

12 junho 2012

Isto chateia-me

5 comentários
Há uns dias estava a sair de um centro comercial e vi um casal jovem ignorar completamente um homem que falou com eles. A seguir passei eu pelo mesmo homem que me pediu que lhe marcasse um número de telefone na cabine porque não sabia ler. Mas isto custa alguma coisa?
Estamos tão calejados pelos peditórios da moedinha que acabamos a ignorar quem nos pede a coisa mais simples.

07 junho 2012

Títulos são uma chatice

3 comentários
Até estou emocionada com a quantidade de comentários boníssimos com que a classe política tem vindo a brindar-nos. Mesmo antes da silly-season, para marcar bem a entrada nesta fase (caso contrário não teríamos qualquer contraste, parece-me).

O Sr. Presidente concluiu que não é com salários baixos que isto lá vai.

Obrigada. Os 13 motoristas nomeados para o Sr. Primeiro-Ministro em DR estarão certamente de acordo comigo: é de valorizar este tipo de intervenção por parte do Sr. Cavaco Silva. 

06 junho 2012

2 comentários
Eis que o Sr. Primeiro-Ministro nos vem elogiar a extrema paciência.
Aproveito para agradecer o elogio, que me sabe sempre bem ser elogiada. Infelizmente a paciência não é coisa que abunde na minha pequena pessoa e no toca à situação deste país arrisco dizer que a generalidade dos portugueses não tem sido paciente, anda é demasiado ocupado a fazer pela vida e à espera da próxima bomba.

Ainda assim, um elogio é um elogio. Obrigadinha. 


05 junho 2012

1 comentários
Diz o Público que a troika quer que o governo flexibilize as leis do trabalho, para não haver tanto desemprego.
Desde há muito tempo que me parece urgente fazer as mais diversas alterações, desde a lei aos incentivos, passando pelas condições e pelo controlo. A única coisa que vi ser alterado (isto é, alterações com efeitos práticos) foram algumas questões com o subsídio de desemprego (quase tudo para pior, do ponto de vista do desempregado).
Estou enganada?

É que "o Governo tem vindo a defender que as recentes alterações introduzidas ao código laboral são suficientes para tornar o mercado de trabalho mais flexível" e, se assim é, então eu sai de Portugal e mudei-me para a Parvónia e a semelhança é tanta que nem me apercebi.

04 junho 2012

Isto não vai dar certo

1 comentários
Quando uma coisa má se pode tornar numa coisa boa que quase de certeza vai acabar mal, o melhor é cobrir os olhos, não falar e tapar os ouvidos.

Restando: isto não me cheira nada bem.

01 junho 2012

Era bom ser criança

2 comentários
Era bom ser criança e quando no-lo diziam, não acreditávamos. Mas era mesmo.
Era bom acreditar no Pai Natal, mas só descobri isso quando numa tarde ensolarada de Dezembro a Raquel me contou que era tudo mentira. Lembro-me desse dia e tinha no máximo 5 anos.
Era bom ter um namorado a quem dar a mão nos intervalos da brincadeira. Nessa altura gostava de loiros e já detestava mentirosos. Mas foi também nessa altura que aprendi que as pessoas tropeçam nas próprias mentiras.
Era bom dormir sempre que entrava num carro, estendida no banco de trás como se fosse uma cama.
Era bom o mini da minha mãe e o 2cv do meu pai (tantas saudades que eu tenho de um 2cv e daquele barulho fantástico que me deixava feliz - entenda-se lá porquê).

Não sei se agora será assim tão bom. A vida dos miúdos de hoje é tão atarefada, preenchida, exigente. Já não se comem gelados de qualquer forma, é importante não sujar a roupa.

Mas era tão bom ser criança.