31 maio 2012

Sombras

1 comentários

Diz-se que as pessoas têm necessidade de se identificar com as personagens dos filmes, não é?
Pois eu fui ver este filme, Dark Shadows (Tim Burton), e revi-me imenso na personagem do Jonnhy Depp. Sobretudo na parte da tez vampiresca (e no estar rodeado de gente doida mas disso não me queixo, que boa parte diverte-me).

(uma pessoa tem que ir dizendo umas parvoíces, desculpem)

28 maio 2012

Positivamente abismada

2 comentários
A única pessoa que alguma vez me disse que eu devia ir conhecer Kiev foi um Ucraniano e, mesmo por isso, não lhe dei qualquer crédito. Chamando as coisas pelos nomes: ignorei.
E agora (que vi o que nunca tinha procurado) pergunto-me como - como? - é que nunca ninguém me disse que  tem que se ir a Kiev. Muito se fala na Rússia (e que lindo e imponente e tudo) e da Ucrânia nunca ninguém me disse nada. E depois vejo fotos como neste post aqui, por exemplo, e só me pergunto: então mas ninguém avisa??


25 maio 2012

Dicas precisam-se

6 comentários
Como é que se consegue acordar de manhã?
A sério, muito a sério.
Já pensei comprar uma daquelas pulseiras que vibram para nos acordar mas só encontro más críticas. Os despertadores convencionais não resultam de todo. Isto independentemente de dormir 4, 6, 8 ou 10 horas.


23 maio 2012

A grande lata desta gente

6 comentários
Resumindo: um blog onde, entre outras coisas, são denunciadas situações de falsos recibos verdes foi obrigado a eliminar ou ocultar comentários pelo tribunal, porque uma empresa de marketing alegou que estes dificultavam os processos de recrutamento.
Então mas que é isto?

A notícia aqui.
O referido blog/site (onde consta uma comunicação sobre o caso).

22 maio 2012

(_____) is in the air

1 comentários
A Primavera tem efeitos demoníacos sobre as pessoas. Mesmo que venha só por uns dias.
Ou talvez tenha sido coincidência.
Mas que anda tudo doido, anda. Pelo menos aqui, à minha volta.
E a sucessão de episódios tragi-cómicos?!
Têm sido dias animados. Os meus.

Estamos a gostar muito, não é?

4 comentários
Olha, greve do Metro Lx outra vez.

Sai barato isto.

21 maio 2012

Festivais

2 comentários
Estou um bocado irritada com os cartazes deste ano dos festivais de música. Não é só a já comum e sempre irritante mania de espalhar os artistas de forma peculiar de forma a que se (eu, pelo menos) queira ir a uma quantidade de dias para ver apenas um concerto - ainda sou do tempo em que o objectivo era precisamente o oposto. Mais do que isso, é querer ir a alguns dias em quase todos os festivais, mas nunca todos os dias de festival algum. Assim sendo, parece que este ano fico em casa. :(

18 maio 2012

A crise de uns e de outros

2 comentários
Tenho esta ideia de que as consequências da crise são mais difíceis de encarar por aqueles que tinham uma vida folgada do que por aqueles que não tinham muito e agora vivem ao cêntimo. Há certos luxos que são viciantes, é difícil abdicar de muita coisa mas ainda mais se sempre os tivemos.

Mesmo tendo isto em mente, tenho que me rir quando alguém se queixa permanentemente de que não tem dinheiro, que a vida não está fácil porque agora é só um ordenado lá em casa em vez de dois, sendo essa pessoa empregadora de uma empregada doméstica e proprietária de dois carros.
Todos nos queixamos e eu até advogo que é o melhor que temos a fazer (porque alivia) mas tem que haver um pouco de sentido de ridículo. Há o necessário (p.e. comer) e o dispensável que se escolhe ter (p.e. comer fora). Distinguir parece não ser assim tão fácil para quem se habituou a poder.
Apenas acho piada.

17 maio 2012

Impec

3 comentários
Mais uma manhã, mais uma greve do Metro de Lisboa.
Não é tão bom?


15 maio 2012

Fico chateada, com certeza que fico chateada

1 comentários
É assim tão estranho eu fazer cara feia quando propositadamente me tentam desconcentrar enquanto faço uma coisa que (1) tem timings, (2) afecta o trabalho de terceiros e (3) ou se faz bem à primeira ou dá o dobro do trabalho?
Como no sketch dos GF: fico chateada, com certeza que fico chateada.

14 maio 2012

Luzes

3 comentários
Nunca gostei da expressão "dar à luz"- sempre me pareceu medonha e muito pouco apropriada ao que pretende descrever - mas parece-me de enorme incoerência escolher a metáfora da luz tanto para a chegada de uma nova vida como para o fim de outra - a velha e acolhedora ideia de que caminhamos para uma luz e que na verdade somos nós quem escolhe abandonar este mundo.

Isto incomoda-me. Ainda por cima lembra-me o Chuva de Estrelas em que as pessoas entravam para uma porta com o seu aspecto normal e depois surgiam de uma luz branca, no meio de muito fumo, pela outra porta, como um famoso da sua escolha. E isso também me incomoda. 

11 maio 2012

3 comentários
Que  a neura não vos acompanhe como me tem acompanhado esta semana.
(tenho um sonho em que distribuo cabeçadas pelos ignóbeis)
E que o sol nos dê um simpático fim-de-semana.

08 maio 2012

Proximidade

5 comentários
Admito que me irrito mais do que devia sempre que alguém mostra o seu espanto quando, em conversas sobre famílias, digo que evito o frete que é ir ter com alguns membros da minha, porque simplesmente não tenho gosto nesse contacto, não sinto que os outros tenham e o afecto é quase um hábito adquirido (talvez pelo tradicionalismo e conservadorismo da minha mãe, que nunca foi de cortar os males).
Mas irrito-me porque me sinto julgada por motivos que não considero válidos. Pior para mim é não poder estar muitas vezes com pessoas importantes. Sejam elas família ou não.
Não acho natural, por exemplo, que ao fim de um ano de a minha vida dar uma volta significativa essa volta seja ainda uma imensa novidade para um familiar que se diria próximo. Não é natural, mas é normal com esta pessoa. É uma pessoa que procuro pouco e que raramente me diz alguma coisa. Nem é uma das pessoas de quem não gosto especialmente, simplesmente... não somos próximos.
Há mal? Parece-me que não..

07 maio 2012

Sério

0 comentários
Gostava tanto de fazer aquele salto negativo que aparece no novo anúncio da Optimus.
Onde é que aquilo se faz?

04 maio 2012

Tentar não custa

2 comentários
Não gosto de pessoas que não se esforçam. Já as que se esforçam, mesmo que não obtenham excelentes resultados, agradam-me e a modos que me arrancam simpatias.

03 maio 2012

(sem título)

2 comentários
Há alguma dificuldade em compreender que uma pessoa não é capaz de ouvir o que lhe dizem ao telefone e também o que lhe diz a pessoa que tem à sua frente?
É que a mim parece-me simples. O telefone está na orelha, a pessoa já falou e agora está calada, significa que do outro lado alguém estará a falar. Logo, iniciar uma conversação é não só inútil como também um tanto estúpido.
Não?

02 maio 2012

(sem título)

4 comentários
Chegar ao trabalho depois de alguns dias de ausência e haver várias pessoas a dizer que sentiram a nossa falta, que tinham saudades. Tão agradável.