08 maio 2012

Proximidade

Admito que me irrito mais do que devia sempre que alguém mostra o seu espanto quando, em conversas sobre famílias, digo que evito o frete que é ir ter com alguns membros da minha, porque simplesmente não tenho gosto nesse contacto, não sinto que os outros tenham e o afecto é quase um hábito adquirido (talvez pelo tradicionalismo e conservadorismo da minha mãe, que nunca foi de cortar os males).
Mas irrito-me porque me sinto julgada por motivos que não considero válidos. Pior para mim é não poder estar muitas vezes com pessoas importantes. Sejam elas família ou não.
Não acho natural, por exemplo, que ao fim de um ano de a minha vida dar uma volta significativa essa volta seja ainda uma imensa novidade para um familiar que se diria próximo. Não é natural, mas é normal com esta pessoa. É uma pessoa que procuro pouco e que raramente me diz alguma coisa. Nem é uma das pessoas de quem não gosto especialmente, simplesmente... não somos próximos.
Há mal? Parece-me que não..

5 comentários:

S* disse...

Significa isso que ser do mesmo sangue não é sinónimo de proximidade.

GATA disse...

Não te irrites, não vale a pena, até porque não és caso único.

Eu, p.e., nunca tive ligação afectiva com a minha família paterna (daquele lado, o único que se aproveitava era o meu pai!) - eu não sei deles e eles não sabem de mim. Aliás, eu nem me lembro que eles existem... se é que ainda existem!

Graças a Bastet, o meu pai mandou o tradicionalismo e o conservadorismo às urtigas e cortou os males com a sua família!

L'Enfant Terrible disse...

Não podemos escolher a família que temos, mas podemos escolher o que fazer em relação a isso, e lá por ser família não quer dizer que temos, se não nos diz nada, qde prestar relações de vassalagem!

maria madeira disse...

idem idem aspas aspas:)

Allie disse...

Parece sempre mal dizer isso, mas a verdade é que nem toda a gente faz um esforço para se manter próxima, logo deixa de haver relação. Na minha família, de ambos os lados, há irmãos (tios) que não se falam, no entanto quando alguém se casa, todos são convidaddos e naquele dia até parece que sempre se entenderam. Depois volta tudo ao mesmo. Eu, sinto-me mal por não ter contacto com alguns membros da minha família. Não me zanguei com ninguém, mas parece-me que o interesse tem de ser das duas partes e quando não é assim, mais vale esquecer.