31 outubro 2011

E queixam-se.

3 comentários
Do Público:
Milhares de utentes estão a ser contactados por carta ou SMS para saldar dívidas. Há hospitais a cobrar por cuidados prestados há nove anos.

Assim não admira que não haja dinheiro para nada e que tudo dê prejuízo, nove anos a deixarem pessoas a dever dinheiro - seja 1 euro ou 100 - não é coisa que se admita.

Ainda se pudéssemos dizer que os devedores são os desgraçados que tiveram problemas que os incapacitaram... mas os devedores são com certeza variados tanto no valor da dívida como na causa da demora do pagamento. E tolerância é uma coisa, deixar uma dívida por receber durante 9 anos é outra.
Quem paga sempre tudo a horas e conforme as regras é que se lixa.

28 outubro 2011

Querem lá ver

2 comentários
que afinal foi mesmo o Duarte Lima que matou a mulher por conta da herança do Feteira?

Depois de tanta exposição, tanta defesa e entrevistas para quem quis ver... sem recato nem vergonha...

27 outubro 2011

Amor de Perdição CXXXV

3 comentários
A entrada do Outono em cena, ainda que com repreensível atraso, traz-me sempre um bom feeling. Gosto, mesmo que dure bocadinhos pequeninos.
Ainda ontem quando acordei estava um temporal tenebroso lá fora. Gosto de temporais lá fora até ao momento em que tenho de os enfrentar.
Depois, chegada ao trabalho, 3 camadas de roupa para tirar...prefiro a complexidade das combinações outono/inverno que a simplicidade do verão (quando uma tshirt é demasiado, e ai que calor que horror).

26 outubro 2011

(sem título)

3 comentários
Sempre achei os anúncios a produtos para bebés um bocado idiotas. Aquela fantochada dos bebés-doutores que analisam e testam a eficácia de fraldas, ou os bebés que conversam e arqueiam sobrancelhas e concordam na qualidade do produto anunciado....
Os bebés são aqueles seres indefesos e dependentes que são fofos e cheirosos para que a maioria das pessoas sinta uma enorme empatia e a ainda maior necessidade de lhes atender todas as necessidades da melhor forma, abdicando do que tiver que ser.
Não há necessidade de recorrer à fofice para anunciar nada, basta explicar porque é que aquilo é mesmo bom e necessário. Não?

Bom, tudo isto para dizer que me parece o cúmulo da estupidez fazer um anúncio a um produto para deixar os bebés fresquinhos e confortáveis que tem um disclaimer em rodapé onde diz que o bebé que aparece a fazer o anúncio é um profissional. Mas afinal é um bebé (indefeso, dependente, fofo e cheiroso) ou é um money-maker?


Fica a versão em inglês do anúncio que passa na nossa tv (a dita frase aparece logo no inicio):

25 outubro 2011

Ódio de estimação CXXXV

7 comentários
Mexem-me com os nervos as pessoas que, sendo totalmente desorganizadas, não se deixam ajudar pelas pessoas que são organizadas, mesmo vendo que o resultado disso é asneira e stresses que se podiam ter evitado.
(então quando quem resolve as coisas não são os próprios...)

24 outubro 2011

Procura-se

8 comentários


Motivação.

21 outubro 2011

Muito bonito

3 comentários
Procura-se um homem por ser o responsável por crimes contra a humanidade, a criatura é apanhada e o que se entende como correcto é fazer gala da sua morte (mais, do momento em que morre), de forma explicita e gráfica.

Quanto a mim até se devia ter pena por ele ter sido morto. Não há consequências, não há punição. Morrer, morremos todos. Mas agora é assim que se faz, the american way: matou muitos, é matá-lo também.

Fora isso, resta responsabilizar os media. Esqueceram-se do repeat ligado, esqueceram-se das causas e focaram a vingança.
Os Líbios sentem-se livres. A consciência do dito genocida, então, nem se fala. E o mundo gosta assim.

20 outubro 2011

Amor de Perdição CXXIV

1 comentários
Conversas simples e tolas, minadas de piadolas provocadoras de quem se gosta.

19 outubro 2011

Ódio de estimação CXXXIV

5 comentários
Odeio Outubro.
Passou a ser um mês em que me morrem pessoas.

No ano passado foi uma, mas uma muito importante, jovem, com vida, de uma forma ridícula.
Este ano já lá vão duas mortes, de pessoas próximas, familiares.

Mês estuporado.

18 outubro 2011

continuando

5 comentários
Interessantes as vossas respostas ao post de ontem.

Já agora explico: a pergunta surgiu-me depois de ver uma interessante discussão político-social no FB em que se falava de portugueses que ganhando bem (face à média) não se aguentam com os cortes. E eu pensei, com as despesas e os baixos ordenados, se o pessoal começa a pagar para trabalhar, vai continuar a ir ou corta o mal pela raiz?

Concluo que a maioria continuaria a ir, hoping for the best.

Eu sou daquelas pessoas que acham que, quando se está desempregado e a receber subsídio, mais vale aceitar um emprego onde se ganha menos do que continuar a receber subsídio (sendo o dito emprego uma coisa com pés e cabeça, ainda que muito mal pago).
Acho isto porque trabalhar é melhor que não fazer nada, porque nos valorizamos profissionalmente, porque aprendemos coisas e convivemos com pessoas. Crescemos mesmo que seja só um bocadinho.

Mas não sei bem qual é o limite, a partir de quando é que deixa de ser agarrar oportunidade para passar a ser uma parvoíce, um desperdício de tudo.

17 outubro 2011

(almost) Random question

6 comentários
O que é que motiva as pessoas a irem trabalhar diariamente e a darem o melhor que podem, fazerem mais do que lhes pedem, durante mais horas do que lhes pagam?

(aplicável apenas a algumas pessoas, eu sei)

16 outubro 2011

4 comentários
É interessante como em todo o lado surgem opiniões válidas e bem fundamentadas sobre as medidas que vão sendo impostas pelos governos, cortando nos rendimentos e aumentando nos custos. Certo que estas opiniões surgem pelo meio das outras sem grande estrutura de quem apenas não quer que lhe metam a mão no bolso porque afinal "não têm nada a ver com isso".
Como dizia a S* num comentário, somos mansos, mas creio que se o actual governo não começa a tratar de responsabilizar quem fez merda - e não foi só o Sócrates - e a cortar na mama de quem se habituou à vida boa e fácil, acabará também ele (o executivo todo, mas sobretudo o Passos) por ser linchado juntamente com os restantes.
Até porque quem dá a cara são eles, e há quem só veja desde há 5 minutos atrás até daqui a 5 minutos.

14 outubro 2011

2 comentários
O povo temde pagar e o povo paga. um pouco como S.Martinho, nao tem assim muito e o que tem nao lhe chega mas da metade.
O mais...coiso...disto e que a culpa e a responsabilidade continuam sos.. nao se apontam dedos, nao se pisam calos, nao se mete a boca no trombone, logo nao ha consequencias.
Esta era a altura para se pensar "casa roubada, trancas a porta" e nao para dizer que o leite esta derramado.

13 outubro 2011

Amor de Perdição CXXXII

3 comentários
A memória olfactiva e aquele momento em que um cheiro nos leva de volta a um momento, apenas por um bocadinho.

12 outubro 2011

(sem título)

2 comentários
Mexe-me um bocado com os nervos que se gaste dinheiro a investigar se o Tutankamon tinha ou não pé boto. Não percebo o interesse cientifico ou histórico que possa fundamentar tal investimento. Investimento esse que podia ser usado em coisas úteis à humanidade, não que o conheciemento não seja útil mas...pé boto? ...hm... não.

11 outubro 2011

Ódio de estimação CXXXIII

5 comentários
Odeio Palhaços.

Sem segundos sentidos, odeio a criatura resultante de maquilhagem esquisita com tentativas desesperadas de entreter outrém.

10 outubro 2011

O AJJ ganhou outra vez, com maioria

5 comentários
L O L

É o Titanic.

07 outubro 2011

(sem título)

6 comentários
Uma pessoa morre e só então se percebe realmente como o mundo foi marcado por ela.

O Steve Jobs morreu - embora fosse dedutível nunca deixou que a sua doença fosse do conhecimento de todos - e é natural que as empresas lhe prestem homenagem. Mas não é só isso.
As pessoas fazem piadas que relacionam directamente com o legado de Jobs (nada mais poderoso), mudam a sua foto de perfil do FB, reagem nas redes sociais e inventam de formas diferentes de assinalar a data.

O que tem de fantástico, tem de triste também. Tudo isto teria mais sentido se ele soubesse.

05 outubro 2011

Random

0 comentários
É engraçado como a forma como as pessoas escrevem (posição do corpo e das mãos, força, a letra, etc) faz transparecer tão bem o estado de espírito com que estão.

04 outubro 2011

Ódio de estimação CXXXII

1 comentários
Alguém que pouco depois de ter sido chamado à atenção por ter uma atitude pouco apropriada, decide armar-se em engraçado sendo novamente inconveniente e quando é chamado à atenção ainda responde, com lugares-comuns que nada têm a ver com a questão.

A paciência nunca foi o meu forte a a falta de educação sempre me mexeu com os nervos.

03 outubro 2011

Caprichos

7 comentários
(vá, ler depressinha, andor minha gente)

Agora que a electricidade e o gás passam a ser taxados com IVA a 23% vou deixar de escrever posts, passarei a escrever telegramas.
Da mesma forma, deixarei de ler notícias nos jornais online, passarei a ler apenas "as gordas" - afinal fica-se a saber....nada, são tão mal escritos na maioria que não se percebe nada sem ler o resto.
No FB também vou deixar de comentar, carrego no like ou não. Fico eu a rir-me sozinha das minhas piadas, que normalmente iriam a comentário (aqui nada muda, no fundo).

Depois destas breves acções, passo a desligar tudo.
A alternativa seria tomar banho de água fria e isso é que não. Pelo menos a um luxo hei-de ter direito.