20 dezembro 2011

Ouvido no metro

Uma senhora tenta, através de conversa telefónica, convencer alguém a passar o Natal em sua casa.
Caso a própria decida ficar em casa.
Porque ainda não decidiu, parece que está complicado.
Mas a outra pessoa tem um convite (como queiramos chamar-lhe) ao qual tem que responder - pois que faltavam, ao dia de ontem, 4 dias para a consoada - mas isso não é problema para a senhora: a pessoa que confirme que vai com a família, depois se afinal a dita não for "para cima", é só ligar a avisar que a pessoa e a família não vão à casa da terceira pessoa que aguardava resposta.

Simples, não?

Bom, caso a terceira pessoa passe por aqui: antes comida a mais que comida a menos, é congelar.

São giras as pessoas.

3 comentários:

S* disse...

Isso é esquisito... o Natal devia ser em família, não devia precisar de convites.

Di disse...

Falta de respeito much? Adoro como há gente assim, que se acha de tal modo no centro do mundo que até pessoas que não conhecem de parte alguma devem estar dependentes da vontade delas...

GATA disse...

Natal é chez moi - 'sogadita' - e nada de confusões!