26 outubro 2011

(sem título)

Sempre achei os anúncios a produtos para bebés um bocado idiotas. Aquela fantochada dos bebés-doutores que analisam e testam a eficácia de fraldas, ou os bebés que conversam e arqueiam sobrancelhas e concordam na qualidade do produto anunciado....
Os bebés são aqueles seres indefesos e dependentes que são fofos e cheirosos para que a maioria das pessoas sinta uma enorme empatia e a ainda maior necessidade de lhes atender todas as necessidades da melhor forma, abdicando do que tiver que ser.
Não há necessidade de recorrer à fofice para anunciar nada, basta explicar porque é que aquilo é mesmo bom e necessário. Não?

Bom, tudo isto para dizer que me parece o cúmulo da estupidez fazer um anúncio a um produto para deixar os bebés fresquinhos e confortáveis que tem um disclaimer em rodapé onde diz que o bebé que aparece a fazer o anúncio é um profissional. Mas afinal é um bebé (indefeso, dependente, fofo e cheiroso) ou é um money-maker?


Fica a versão em inglês do anúncio que passa na nossa tv (a dita frase aparece logo no inicio):

3 comentários:

GATA disse...

Assim como adoro anúncios de carros, detesto anúncios com bebés.

O último exemplo do meu "ódio de estimação" é um anúncio espanhol da 'nova receita' do Caldo de Galinha da marca Gallina Blanca (vide http://www.youtube.com/watch?v=pzq-_9WGbt8) - é um horror!!!

Maria Bê disse...

Cara Mnemósine,
Os anúncios a fraldas, penso eu de que, contêm em si demasiadas referências escatológicas para não serem levados a brincar. A fofice destina-se a derreter ainda mais os corações das mães e a tolice a entreter entre dúzias de anúncios fofinhos.
Quanto ao "this is a professional baby", acho que é uma brincadeira com o facto de os anúncios, nos EUA, conterem sempre disclaimers, por exemplo de que o gajo de bata branca é um "professional actor", ou "don't try this at home", ou "professional driver on a closed course" no caso de anúncios de automóveis.
Finalmente, esse anúncio nunca poderia passar deste lado do Atlântico, tem um rabinho à mostra, coisa que por cá é, infelizmente, proibida (p*** da censura).
Um sorriso não censurado!

Mnemósine disse...

Ó Maria Bê mas este anúncio passa cá, não sei se exactamente igual (sem rabo provavelmente) mas com o tal disclaimer.
Nem discordo que seja uma brincadeira, em tom de gozo com o exagero americano, mas acho estúpido na mesma e incoerente ainda mais.
*