23 setembro 2011

(sem título)

Assim de repente Portugal podia tornar-se um bocadinho amigo de si mesmo e ter uma "recomendação" para todas as empresas que produzem sobras alimentares.
Nos jornais fala-se e insiste-se em mostrar famílias que caíram até uma situação financeira tão complicada que mal conseguem alimentar-se decentemente. Ao mesmo tempo há uma série de associações que se dedicam a distribuir comida das mais variadas formas e que lutam, também, para atender todos os pedidos.

Depois dou com cenários em que há empresas de catering, cafés e restaurantes a deitar fora comida em condições de ser servida mas que devido às bem-ditas medidas de higiene e segurança alimentar não conservam para o dia seguinte.

Se há gente com fome e há quem deite comida boa para o lixo porque não autorizar as tais associações, os voluntários, a recolher e distribuir em vez de pôr no lixo?
Não dormíamos todos um bocadinho melhor?

(A famosa frase atribuída a Maria Antonieta não é assim tão descabida)

4 comentários:

S* disse...

Não custava nada, no final do dia, seleccionar comida que ainda está boa e dar a quem mais precisa.

AF disse...

Quanto a este tema, tenho opiniões contraditórias. Se por um lado me custa imenso saber que há muita gente a passar fome e que devia ser ajudada, ainda para mais quando sabemos que há muita coisa a ir para o lixo que as podia ajudar, por outro lado sei de situações que deixam muito a desejar. Desde supermercados que começam a dar coisas como alimentos e fraldas e as coisas começam a aparecer danificadas de propósito (sei do que falo), pessoas que não têm necessidade absolutamente nenhuma de recorrer a ajudas e mesmo assim recorrem porque mexem cordelinhos e conhecem este e aquele e é o suficiente (sei do que falo), pessoas que têm a lata de ir buscar comida que os supermercados dão para (supostamente) alimentar os mais carenciados quando têm mais do que possibilidade de se alimentar e pessoas que procuram ajudas em todo o lado e depois é vê-las o dia todo a queimar cigarros (mais uma vez sei do que falo). É complicado... Mas de facto não nos podemos esquecer que há por aí gente que REALMENTE precisa de ajuda e por elas custa saber que existem tantos desperdícios.

L'Enfant Terrible disse...

Curiosamente logo por aí nota-se a boa gestão desta país, quiçá, de todo o mundo!

Sokyu disse...

Não posso concordar mais... em Mafra alguns cafés contribuem para a APERCIM ao final do dia com bolos e pão que não se venceu. Mas claro... off the records...