09 julho 2011

(sem título)

A Refer constrói um muro ao longo de parte de uma linha de comboio. Acontece que o muro impede os habitantes locais de terem uma passagem directa para a praia, atravessando a linha de comboio. Então claro que o melhor não é andar 600 metros e passar para a praia onde é devido, parte-se o muro e atravessa-se a linha.
Depois vai a Refer e constrói novamente o muro.
E no mesmo dia o muro é partido, porque a praia é logo ali.

"Porque nunca morreu ali ninguém" - dizem à repórter.

No dia em que morrer alguém na linha a culpa vai com toda certeza ser atribuída à Refer, e não à estupidez do povinho.

Haja paciência.

6 comentários:

L'Enfant Terrible disse...

Depois queixam-se!

Espiral disse...

Isso é apenas responsabilidade da refer. As pessoas têm mapas cognitivos já construídos difíceis de mudar. E toda a gente funciona em economia cognitiva. Não é estupidez.... O erro foi da Refer que não soube fazer as coisas bem. (Contratar um psicologo ambiental por exemplo)

Fuschia disse...

Porque não constroem uma passagem ali?

Benedita disse...

A típica Lanzeira Portuguesa...

GATA disse...

Ó gente (da minha terra) estúpida!!! Lamento mas não terei pena se alguém morrer.

formiga disse...

Também vi essa reportagem e fiquei parva. Derrubam o muro porque tem de andar, imagine-se 600m, dizia uma senhora indignadissima. E essa senhora tem idade suficiente para ter juizinho. A desculpa do..."nunca morreu ali niguém" também me deixou de boca aberta.

A minha esperança é que eles tenham percebido a ridicularidade da situação.

beijinhos