15 julho 2011

Exames Nacionais

Parece que a crise chegou aos exames nacionais.

As negativas a matemática passaram de 13% para 20%, culpa da prova que era mais difícil. E Português teve média negativa, consta que é o pior resultado dos últimos 14 anos.

Por esta altura deve haver algumas centenas de jovens com as férias estragadas, pelo menos sempre que pensarem que ainda falta imenso tempo para saberem os resultados - se entraram no curso que queriam ou noutro ou em nenhum.

Ainda assim, o facto de as provas terem sido mais difíceis e não mais fáceis que as dos anos anteriores parece-me interessante.
Nos últimos anos a vontade (desespero?) de obter bons resultados para mostrar ao mundo, para aumentar os níveis de escolaridade da população, resultou no enfraquecimento do sistema e consequentemente do domínio das matérias. É bom saber que o laxismo que se começava (?) a instalar não se manteve só para encerrar com resultados bonitos a era Sócrates.

5 comentários:

Addle disse...

Eu tive exames de 9º ano completamente ridículos, e apesar de ainda ir fazer os do 12º, acho que devem ser difíceis. Senão, como é que sabem que estamos preparados e como é que vamos estar preparados para a fase seguinte?
É que há pessoas que andam a penar o ano inteiro e outras que não fazem puto, e passam as duas com mais ou menos a mesma nota porque o exame era fácil. Não acho que seja muito justo...

Lilith disse...

Eu não concordo com momentos de avaliação que sejam fáceis, muito menos a nível nacional. Só mostra que não somos um país exigente e, consequentemente, não andamos a treinar bons profissionais. E o mais difícil de todos devia ser o da Língua Portuguesa! Se há coisa que me enerva é ver carradas de erros ortográficos por aí espalhados!

S* disse...

É vergonhoso. É isto que gera o facilitismo...

Filipa Arez disse...

concordo mesmo.

Juanna disse...

Gostei do que escreveste com ironia..."a culpa é dos exames mais difíceis". Não, a culpa é dos alunos que pouco sabem, os pais que a pouco ordenam e dos professores que pouco podem/sabem ensinar.