30 maio 2011

Oh, se seria!

Ainda sou do tempo dos cinemas de bairro.
E tenho saudades, não tanto do tempo mas dos cinemas. Da possibilidade de consultar o jornal e decidir descer a rua e ir logo ali ver um filme e voltar, 2h depois.
Sem a necessidade de ir com muita antecedência comprar bilhetes, sem ter de pensar como é com o jantar, sem ter de entrar antes da hora para ter um lugar decente e, sobretudo, sem estar sujeita a não poder estar em paz porque, afinal, uma sala de cinema ou uma mesa de café são igualmente adequados para pôr a conversa em dia. Ou porque, afinal, todos temos opiniões e podemos expressá-las (diz que é a liberdade de expressão). Etc, etc.
Pode ser dos tempos e da regressão no respeito pelo próximo, mas d'antes era tudo muito melhor, era um ritual, um momento especial. Agora é apenas uma coisa que todos fazem (embora, felizmente, escolhendo filmes diferentes)
Sinto que se houvesse uma salinha de cinema onde pudesse ir sossegada e sem ter de planear, seria uma pessoa mais feliz (na maior parte dos dias).

5 comentários:

Fuschia disse...

Não sou do tempo dos cinemas de bairro, mas ainda há cinemas vazios, depende mais é da hora. A ultima vez que fui ao cinema Londres, eram 17h e estava praticamente vazio (e o Manuel Alegre à minha frente com a sua sinhora).

Sofia disse...

Eu já não vou ao cinema a algum tempo, tenho que inverter isso...
Beijinhos,
Sofia

Mnemósine disse...

Fuschia é por isso que deixaram (ou estão a deixar) de existir. Estão quase sempre vazios.
Por mim era perfeito terem apenas uma sala, para ser mais rentável, mas existirem.

GATA disse...

Cada vez vou menos ao cinema (e quando vou é a meio da semana e fora das horas de 'ponta'): porque eu gosto de ver um filme EM PAZ, sem ruídos de pipocas, toques de telemóveis, e gente sem pinga de civismo!

estrela disse...

eu antes não ia ao cinema só depois quando comecei a namorar...mas sim também gostava bem mais dessa altura...era tudo mais calmo e tranquilo....