11 abril 2011

Já que a economia vai mudar..

Agora que já brincámos todos às casinhas durante uns bons anos (só não brincou quem não quis) podemos começar a vender o que não usamos mas ainda está em bom estado. Afinal temos dividas e convém pagá-las. E não é vergonha nenhuma vender-se parte do que se tem mas já não tem utilidade.
Por exemplo, estou certa de que o Sr. Sarkozi teria muito gosto em adquirir o nosso Sócrates. Ficava com um companheiro de corridas, mais um arranjo bonito para as fotos na ausência de sua esposa, além de que ainda ganhava quem lhe fizesse olhinhos (é inegável que o Zé tem uns olhos pestanudos e ouvi dizer que a Carla já não mexe).
Depois, temos o Durão e o Guterres alugados. Sabendo que estão satisfeitos com o produto (e ainda bem) podemos dar, a cada um dos seus poisos, preferência na aquisição e desconto em pontos. Além de que continuam a trabalhar (haja alguém que o faz).
Para a rainha de Inglaterra temos uma primeira-dama e duas ex. Qualquer uma delas culta e bem apresentada, seriam óptima companhia e uma finesse no chá das cinco com as amigas e a neta nova.

Pessoalmente acho que podíamos fazer grandes negócios. Isto pensado com cuidado ainda conseguimos despachar toda a classe política e ainda éramos capazes de governar o país às claras já a partir do ano que vem.


Não me posso esquecer de referir que os ilustres apresentados anteriormente seguem com enxoval, tachos incluídos (as senhoras referidas que não se ofendam, mas não vos consegui vender os maridos).

5 comentários:

offigsandpears disse...

Adorei este post. :)
Tens toda a razão. Com bom planeamento fazíamos um negócio fantástico vendendo toda a classe política. Só vantagens para Portugal. ;)

formiga disse...

Adorei... muito bom...

GATA disse...

Por mim, tudo bem. Mas deixa-me dizer-te que não temos 2 ex Primeira-Dama, temos 3 (Manuela Eanes, Maria Barroso e Maria José Ritta).

L'Enfant Terrible disse...

Acho que o resto vendia-se ao circo intenerante das aberrações, com vacinas em dia e tudo!

Mnemósine disse...

GATA, bem visto. A Sra. Eanes aparece menos e esqueci-me dela.
L'enfant, tenho duas objecções: odeio circo e o itinerante significa que passariam por Portugal mais tarde ou mais cedo. Ainda assim, todas as ideias são bem-vindas quando se trata de assuntos sérios!