27 abril 2011

Estado do Mundinho

(a coisa anda tão boa ou tão que não precisei de mais do que abrir o site de um jornal para saber que era isto que ia escrever)

José Lello (alega que) não soube usar o seu Blackberry e que postou no facebook o que pretendia que fosse uma mensagem pessoal. Aqui. Pelo menos não inventou demasiado, não culpou hackers. Já nem precisamos da criatividade de alguns (ver imagem) para nos rirmos.
O PSD exige ao Governo todas as contas do Estado. Não digo todas as contas, mas não devíamos todos exigir saber? Claro que isso ia dar origem a muitas opiniões mas se calhar ajudava a perceber ao certo o que se passa (além de que quase ninguém teria paciência para de facto consultar registos)

Finalmente vejo uma proposta no sentido de alterar o calendário lectivo e respectivas interrupções. Sempre achei mal não só o facto de as interrupções estar ligadas a festas religiosas mas também as "férias grandes" serem enormes, em detrimento do descanso durante o resto do ano. Embora ache a proposta ainda pouco abrangente (pelo que li), tem de se começ
ar por algum lado e as razões apresentadas não deviam ser contestadas logo pelos pais.

7 comentários:

GATA disse...

O José Lello é que é foleiro!

Suponho que o PSD exija também as contas de quando foi governo... E se as datas (religiosas e outras) fossem fixas, já não havia estas palhaçadas!

Just me disse...

concordo com a gata...

precisamos de nos deixar deste provincialismo se realmente queremos fazer a diferença e tem um Portugal melhor...
ainda que agora creio ser um pouco tarde... com o FMI aqui não nos espera bons dias!!!

Sacrifícios, só sacrifícios...

Mnemósine disse...

GATA: exactamente por eles depois não as exigirem é que devíamos exigi-las todos.
A questão com as datas não é só por não serem fixas, é também porque se podia ter um aproveitamento do tempo mais optimizado e adaptado às capacidades dos estudantes. Quanto a mim, as alegações da proposta desconheço-as.

L'Enfant Terrible disse...

É por essas e por outras que nem abro o jornal! Não sei se ria, se chore!

Inês disse...

É mais uma defesa de posição do que uma proposta. O Conselho das Escolas acha mal que dependa de feriados religiosos, mas não propõe nenhuma alternativa. Pelo menos é o que deduzo da notícia completa, onde também e colocada uma questão importante: será que a sociedade está preparada para uma mudança para um calendário que não dependa dos feriados religiosos?

Mnemósine disse...

Inês: por acaso a sociedade está preparada para alguma coisa?

Inês disse...

Está preparada para que nada mude. Mas não deixa de ser uma questão pertinente, acho.