29 março 2011

Ódio de estimação CVI

Odeio aqueles quiosques que há agora nos centros comerciais em que as pessoas nos interpelam, nos interrompem, com "posso ver suas unhas"?
Que abordagem tão rude e irritante, que trabalho penoso que deve ser.

Falo por mim, se em vez de me perguntarem se podem as minhas unhas, como se tivessem alguma coisa que ver o que quer que seja, me perguntassem se quero experimentar não-sei-o-quê e se eu dissesse que sim aproveitassem para uma apresentação breve, provavelmente eu saberia o que vendem esses quiosques.

7 comentários:

GATA disse...

Ui, esses quisoques no meio dos corredores dos centros comerciais em que uma pessoa tem que fazer uma espécie de 'rally paper' para chegar de uma ponta à outra - lov'it! Só me lembra a famosa obra do Abecassis no Chiado...

S* disse...

São irritantes... mas como já trabalhei como promotora, tenho pena delas.

L'Enfant Terrible disse...

Eu não me importo nada que me interpelem. Digo-lhe não, em cima de não, e mais não. E tudo com um sorriso na cara. Não sabem se estou a gozar ou não, mas rapidamente desistem de vir saber!

Cláudia Rodrigues (sim, sou eu mesma) disse...

LOL - esta moda ainda não chegou aos Açores!

Di disse...

dizes q nao aos senhores dos produtos da jandaia? ohh mas eles sao tao fixes! eles perguntam a cena das unhas pq tem umas limas porreiras para deixar as unhas polidas e brilhantes sem pores verniz! é porreiro pah! xD

Mnemósine disse...

Di mas essas limas há em todo o lado, até no chinês. E esses senhores querem ver as minhas unhas. E a Jandaia não é dos sapatos?

Lin Na disse...

É como a S* disse, eu tenho pena delas. Aquele trabalho não é fácil. Tento sempre dizer-lhes que não educadamente, mas quando insistem muito irrita.