04 fevereiro 2011

À atenção da protecção dos animais

Já alguém fez queixa ou participação dos tocadores de "música" que andam no metro (o-d-e-i-o) com uns cãezitos sentados no ombro ou no acordeão?
Há pelo menos dois cães, um de pêlo preto e outro castanho.

Cada vez que os oiço apetece-me bater-lhes (aos tocadores), depois vejo-lhes os cães e quero muito fazer-lhes uma rasteira, agarrar no cão e fugir (filmes a mais?).


Considere-se este post uma participação, Srs. da protecção dos animais. Se quiserem mais informações digam.

6 comentários:

Anónimo disse...

O pior é que há pessoas que contribuem.
É claro que os cães são comoventes, mas é óbvio que a situação é anormal, quer dizer, não é normal um cão (preso por um cordel) com um baldinho na boca estar quieto (quanto tempo?) naquelas circunstâncias (a tremelicar de frio, tantas vezes). Também costumam estar na Rua Augusta e é revoltante (para mim). Muitos deixam lá a moedinha, portanto enquanto isso acontecer, vamos continuar a assistir a essa cena lamentável. E se o cão não rende, que lhe acontece? Pela maneira como os miudos lhes puxam o cordel, não pode ser nada de bom. E é um facto, ninguém com "autoridade" reage.
wallis

GATA disse...

ESQUECE A PROTECÇÃO DOS ANIMAIS!!! Não funciona neste país! Infelizmente não temos uma RSPCA, mas temos touradas! Olé!

L'Enfant Terrible disse...

Protecção dos animais para quem? Para os cães ou os tocadores?

Mnemósine disse...

L'enfant dos tocadores ninguém gosta muito, vale mais proteger os animais com possibilidade de reinserção social!

Mnemósine disse...

GATA, vai ter de ser de rasteira então.
Wallis se levassem o mesmo tratamento que dão aos cães era bonito de ver. bonito como quem diz, era feio na mesma mas justo.

Inês disse...

Sem dúvida. Igualmente preocupante é o facto de num deles, de volta e meia, ser uma criança a a transportar o dito copo. Portanto, à atenção da protecção dos animais e da protecção de menores.