30 setembro 2010

Amor de Perdição LXXX

2 comentários
Gosto de email por permitir um contacto muito mais próximo do que qualquer outro meio. 
Lembro-me dos tempos de escola (sem net e sem telemóveis) em que imensas histórias de verão se perdiam pelo tempo que as separava do regresso às aulas. Conservo ainda algumas cartas desse tempo, onde se contam algumas coisas mas onde, inevitavelmente, falha a dinâmica pergunta-resposta.
Lembro-me de ter a minha mãe à perna por falar ao telefone durante meia hora. (Ela fazia pior)

Há um conjunto de pessoas com quem falo sobretudo por email e assim consigo conservar a presença na suas vidas e delas na minha. Sabem talvez mais do que quem me vê todos os dias, pelo simples facto de perguntarem sobre aquilo que nunca perguntamos.

29 setembro 2010

Porreiro pá

2 comentários
*suspiro*

Hoje de manhã..

4 comentários
..saí de casa a horas obscenas. Para mim qualquer hora da manhã é obscena mas hoje foi mais cedo do que geralmente tem de ser. Anyway, não havia quase ninguém na rua mas houve um homem que me acenou do outro lado da rua. Além de ver um bocado mal ao longe, era demasiado cedo e não se pode esperar nada de mim. Fiz um discreto cumprimento com a cabeça só para não ser mal-educada mas estou até agora sem saber quem poderia ser. Não conheço ninguém que more ali perto...
Se calhar ele também era pitosga e foi ele que se baralhou e não eu.

Alívio

1 comentários
Consegui recuperar a totalidade dos ficheiros que tinha no computador que avariou, incluindo horas de trabalho, música e fotos.
Perdi umas horas a pesquisar em dezenas de fóruns do mundo e a solução acabou por sair da minha linda cabeça. Podia dizer ai que sou tão geek mas a verdade é que, como em tantas tantas coisas, a solução mais simples é a melhor. 
E é isso.

28 setembro 2010

Ódio de estimação LXXX

1 comentários
Odeio coisas que se prolongam para lá do razoável. 
Copos de água, festas, reuniões, compromissos...filas de espera (e tudo o que contenha no seu nome a palavra espera)... filmes, telefonemas.

27 setembro 2010

(sem título)

9 comentários
Pergunto-me se será mais estúpido
ter ido pela terceira vez a um restaurante onde nunca fui bem atendida (e onde a comida não é fantástica)
ou
esse restaurante continuar a permitir-se ter um serviço péssimo (desatento, lento, sem simpatia, sem grande educação) (com o gerente ou dono a passear-se por ali).

24 setembro 2010

Lendo

2 comentários
Começo a achar que a minha mania de não deixar de ler um livro até ao fim mesmo que o ache desinteressante (quer em termos de estilo, quer de história) é uma perfeita idiotice. 
Nunca nesta vida hei-de ter tempo para ler tudo o que quero, mais vale ler compulsivamente apenas coisas que me fazem ter vontade de ler dessa maneira, sempre que possa fazê-lo.

Por alguma razão, estes "achismos" nunca passam disso.

23 setembro 2010

Que mimo (à portuguesa)

2 comentários
Cito, do Público online:

"A escola de Lamego que, no ano passado, foi escolhida pela Microsoft para integrar a rede mundial de escolas inovadoras, fechou as portas. Os 32 alunos da EB1 de Várzea de Abrunhais - que dispunham de wireless e em cujas aulas os Magalhães trabalhavam conectados com o quadro interactivo - foram transferidos para um centro escolar onde não há telefone nem Internet."

O resto, aqui.

1.º: onde é que foi para o material?
2.º: com tanta polémica com as escolas que fecham (e eu até concordo que é preciso fechar algumas) esta foi a melhor maneira de se provar que o ministério não sabe o que faz. E não foi preciso mais ninguém mexer uma palha.

Amor de Perdição LXXIX

1 comentários
Adoro quando me contam um acontecimento ou um facto ou whatever como se fosse a maior novidade, fresquinha como fruta acabada de colher, e eu faço o meu ar de enfado e respondo: ah, isso, sim já sabia..(e até acrescento pormenores). Depois perguntam-me: já sabias? como é que soubeste? [= o quê eu não soube isso em primeira mão??]
E então eu respondo (é esta a parte que eu gosto): li num blog...

(acontece-me com alguma frequência)

22 setembro 2010

Idosos

2 comentários
Ontem a Sic apresentou várias reportagens sobre o abandono de idosos (em casa própria, lar ou mesmo hospitais) e sobre a solidão daqueles que não têm família. Sugeria-se, nos entretantos, consequências sociais e mesmo criminais para aqueles que não tratam os seus idosos nos termos que se considerem adequados. 
Isto fez-me pensar em duas coisas (vou tentar resumir):

1. A simplificação de todos os processos e a informação, em oposição à habitual desinformação, por parte da SS seria um bom começo de conversa para que as pessoas deixassem de se sentir completamente escravas das doenças dos seus familiares. Em vez disso obriga-se toda e qualquer pessoa a adivinhar se tem ou não direito a apoios de alguma natureza ou a perder horas em filas e a sacar as informações que precisa do pessoal bem-disposto dos serviços  (quem não se identificar com o padrão não há-de se ofender). 

2. Por muito ultrajante que me pareça que alguém não queira saber do seu pai, mãe, avô ou avó, não posso deixar de questionar a obrigatoriedade. Por que razão irá alguém querer ter ao seu cuidado uma pessoa com quem nunca estabeleceu uma ligação? Só porque há um "laço" de sangue? Não me parece. Mais facilmente se despende tempo para dar atenção a alguém que sem ter qualquer obrigação nos acompanhou a infância do que a alguém que apesar de (moral e legalmente) obrigado a isso nunca nos foi nada.

21 setembro 2010

Ódio de estimação LXXIX

10 comentários
Odeio dobragens. São tudo de mau.
As traduções já são terreno minado, com tanto erro.
Mas nas dobragens não se perde só o significado, perde-se a entoação e a voz. E são um atentado à criação artística*.
Já imaginaram nunca ter ouvido a voz dos actores americanos? Já vi a cara de surpresa de alguns amigos italianos ao ouvirem pela primeira vez o original de um filme que viram imensas vezes. 

*ainda que seja, ao mesmo tempo, uma actividade que dá emprego...

20 setembro 2010

Ler notícias é muito importante

5 comentários
O Carrilho saber que foi demitido através da Lusa é quase tão bom como as declarações do Ministério da Cultura depois da demissão do Barreto Xavier.
Mas cheira-me que os próximos episódios vão ter muito mais piada.

Argh

3 comentários
Mas uma vez o meu computador deixou-me apeada. Não caibo em mim de contente, agora além de não poder aceder às minhas coisas tenho de usar o computador alheio. Sem favoritos, sem tabs, sem pass gravadas e sem os meus documentos, músicas e sei lá mais o quê (pensem em 4 anos de uso intensivo, é isso).
Mais aquela parte de estar a tentar adiar o máximo de tempo possível a compra de um novo, que o dinheiro faz falta do meu lado. Estou mesmo muito contentinha.

Entretanto, ajudava mesmo saber de umas apps boas para o telemóvel (symbian) para usar o blogger. Alguém usa?

17 setembro 2010

(sem título)

3 comentários
Fazemos o TGV? Fazemos, por causa da crise, as empresas precisam deste tipo de iniciativas.
Fazemos o TGV? Não, a conjuntura económica não o permite.
Não, não é a mesma coisa, não vêem que as declarações distam meses?

Era tão interessante que o Canal Parlamento funcionasse tipo RTP Memória, emitindo sessões passadas...
Já agora, alguém sabe como se vai de Lisboa para o Poceirão?

16 setembro 2010

Amor de Perdição LXXVIII

4 comentários
Desculpas esfarrapadas.
Ok, às vezes também as odeio. Mas quando há coisas que já não têm remédio, adoro ouvir as desculpas que as pessoas inventam como se achassem que alguém vai acreditar naquilo. Torna-se cómico e uma piada vem sempre a calhar.

15 setembro 2010

Ou, resumindo,

0 comentários
não há fresh starts.

Treta da memória

1 comentários
Raramente, para não dizer nunca, me esqueço de um aniversário ou de um acontecimento especial que me seja comunicado. Sei o dia de anos de toda a gente, dos filhos todos de toda a gente e até sei que é este o ano em que X foi para a escola e em que Y passou para o ciclo. 
Não me lembro de muitas coisas que acontecem no dia-a-dia. Não sei a história dos filmes todos que já vi, nem da maioria. Não me lembro de tudo. Sei onde fui, com quem fui, sei se me contaram tal coisa e se aconteceu alguma cena importante. Reparo nos pormenores e guardo muita informação que, não estando presente, está disponível.

Tem a sua utilidade. 
O problema é que também me lembro do que me dizem. E há muito quem diga as coisas só para magoar, marcar, pisar ou ficar em posição "superior". Acredito que tudo o que é dito tem um fundo de verdade, não é só a brincar que se dizem as maiores verdades (como diz o povo) mas sobretudo em situações de conflito (digo eu). É no ataque que se dizem as coisas que nunca se disseram antes (mas sempre se pensaram). 
Depois de me dizerem uma destas coisas (quer seja respeitante a mim e à minha vida ou não), não as esqueço. Não porque não quero, apenas porque isso não acontece assim. Figurativamente, depois de darem um pontapé na cadeira esta fica coxa e não há calço que a ponha direita.
É por isso que não confio em certas pessoas, nunca lhes dou tudo o que podia dar nem acredito que sejam sinceras nas suas declarações. 

14 setembro 2010

Ódio de estimação LXXVIII

3 comentários
Odeio que me ofereçam coisas para a casa.
Por principio odeio que no Natal ou no aniversário escolham "para mim" uma coisa "para a casa". Logo eu que sou tão pouco dada a tudo o me podia aproximar de uma fada do lar ou mesmo de uma dona de casa que se dê ao respeito. Se é para mim é para meu uso pessoal, para eu gostar.
Mas também odeio que o façam fora das "festas"...eu é que sei como decorar a minha casa, se for para oferecer alguma coisa pelo menos que seja uma coisa que não empate ou que não tenha de ficar em exposição.

13 setembro 2010

Uma história e (mais uma) teoria

4 comentários
Sim, tenho muitas teorias. A maioria delas é parva e por isso impublicável mas sobram algumas, menos idiotas.
Esta teoria já tem barbas, vem desde a minha pré-adolescência. Como a teoria é simples e curta, acompanha-a a história.

Naquela altura ia muitas vezes almoçar ou jantar fora em família. Não era propriamente divertido, sendo eu a única criança tinha pouco com que me entreter e comer não era coisa que me desse especial gozo. Assim, uma pita faz o que uma pita tem de fazer, a minha actividade cada vez que íamos a um restaurante novo (para mim) era ir cuscar os lavabos. 
O objectivo era simples, tal como a teoria - que é esta: restaurante que se preze tem um bom wc + se o wc está limpo e cuidado, assim estará a cozinha (quem tem determinados cuidados tem outros que se lhes assemelham). 
Utilidade: se vais a um restaurante que até tem bom aspecto mas que tem uma casa-de-banho miserável e badalhoca, provavelmente não é sítio onde a comida vem nas melhores condições. 
Portanto, quem precisa da ASAE quando tem a Mnemósine?

O melhor de tudo é que esta teoria é aplicável ao restaurante mais fino e à tasca mais tasca, mesmo que o wc seja a coisa mais simples do mundo pode (deve) estar limpo.

10 setembro 2010

O meu afilhado

2 comentários
O meu afilhado está cá a passar os últimos dias que lhe restam de férias. 
Descrevendo o meu afilhado:
Tem 8 anos.
Conjuga muito bem o verbo querer na primeira pessoa do singular, tal como o verbo comprar na terceira do singular e primeira do plural. 
Não trouxe a Playstation cá para casa. Não sabe que faça à energia.

Hoje: fomos a três lojas para ele comprar um jogo para a PS (estava garantido), não gostava de nenhum (e descobria isto apenas por olhar por uns segundos para a contracapa) (também é verdade que a vida não está fácil para quem se vê obrigado a comprar jogos com classificação para 8 anos: 12+, 16+ e 18+ viu ele muitos e o que queria mesmo era o GTA ou similar). Acabámos por voltar à primeira loja, onde comprou um em que nem tinha reparado antes de eu lhe chamar a atenção para o facto de serem 3 jogos em 1 (se fosse sempre tão fácil...).
Pelo meio ainda consegui explicar-lhe o que é um cartão de crédito e um contribuinte, passando pelo facto de todos (teoricamente, não expliquei isso) contribuirmos para o Estado através de umas coisas a que se chama impostos.

Posto isto, acho que sou uma boa madrinha.

09 setembro 2010

Fashion night out

1 comentários
Hoje é o fno. Yes!
Descontos e lojas abertas e ofertas e coisas a acontecerem. Yes!
É giro.
Só falta haver dinheiro para ir gastar assim, como apetece. Ups!

Então fico-me pela dinner night in.

Amor de Perdição LXXVII

2 comentários
Gosto da noite.
Do silêncio, da solidão, de não ser interrompida no que escolho fazer.

2 comentários
Elevador do centro comercial:

Ah e viram o acidente?
Qual acidente?
Aquele em que morreram bué portugueses? :) 
Qual?
Ah não sabem? [conta a história como quem está a contar que foi promovido, com um sorriso e sei lá mais o quê]

É a crise. Deve ser. Espero que seja.

08 setembro 2010

Em geral

2 comentários

07 setembro 2010

Ódio de estimação LXXVII

2 comentários
Spoilers.

Odeio quando a sinopse de um filme conta metade da história, ou mesmo só a parte que interessa.
Quando a contracapa do livro já diz coisas que só se deviam descobrir no décimo capitulo.
Quando a apresentação de uma série mostra o plot point que só vai acontecer lá para meio da temporada.
Quando me contam um filme e depois me dizem "tens que ver!"...
Quando falho um episódio e quem viu vai logo contando a melhor parte.
Eu sou a pessoa que não lê posts sobre os filmes que quer ver ou sobre séries que os outros andam a ver na net, antes de mim. Eu sou a pessoa que não vai ver o alinhamento do concerto antes de ir para o local. Eu sou a pessoa que tapa os ouvidos e canta lalalala.

(aliás, já tinha abordado o tema..mas sob a forma de "vejam lá a minha vida" e não de ódio de estimação)

06 setembro 2010

Ah, Setembro

10 comentários
Os senhores do FB fizeram o obséquio (o que eu adoro esta palavra!) de me enviar um mail a dizer que tenho 5 aniversários esta semana. 
Ora sendo que já ontem tive duas festas de anos (pirralhos) + um almoço e que nem toda a gente está no fb e ainda que a próxima semana é igual...pode dizer-se que estas são as semanas mais concorridas do ano. Assim de ter três aniversários no mesmo dia, em mais do que um dia. Como hoje.

Não percebo é como é que ainda tenho a terça à noite livre. 

Estocolmo - Fotos (2)

3 comentários
As últimas fotos da viagem.
E agora digam-me lá, quantos de vocês se podem gabar de terem sido elogiados por um sueco pelo vosso bom português? 
Hmhm? Eu posso.
Está uma pessoa a descansar, na conversa sobre o que se vê por ali, e diz a sueca: "que bem falam português!". Ah pois! Assim mesmo.

03 setembro 2010

Copenhaga (apontamento)

3 comentários
Quando se vai a Copenhaga não pode deixar de se ver ___________.
*
*
*
*
*
A Sereia.
Certo?

Eu, como tenho mau feitio, fui o caminho todo até à Sereia a falar mal das sereias em geral. Que são beras, que cantam para seduzir os homens e no-los roubarem e essas coisas. 
Enfim, ocupei o meu tempo da forma que me lembrei.
O que eu não esperava era isto:

www.mermaidexchange.com  
A Sereia não estava, foi para Shangai. 
Eu ri-me à gargalhada.
Mas podiam ter avisado. Ou posto uma réplica. Ou oferecido rebuçados para compensar.

02 setembro 2010

Copenhaga - Fotos

1 comentários

Devo dizer que não gostei particularmente das fotos que tirei em Copenhaga.

Amor de Perdição LXXVI

2 comentários
Adoro fazer planos.
Aqueles que faço de mim para mim, que me ajudam a manter um objectivo em mente quando as coisas não correm da melhor forma.
(mesmo que o objectivo desta semana seja diferente do da próxima, tenho uma imaginação fértil..)

01 setembro 2010

Malmö - Fotos

1 comentários