31 julho 2010

Finalmente, férias

5 comentários
E não há motivo melhor para me fazer estar no aeroporto à hora a que geralmente, na pior das hipóteses, estou a sair da cama.

Se tudo tiver corrido como planeado, sem vulcões e sem greves, a esta hora estarei por estes lados...


Ora digam lá.

Adeus, até já

3 comentários
Estou a ultimar as coisas para ir embora. Mereço muito estas férias, acreditem se quiserem.
Tal como acontece 5 dias por semana, os preparativos para férias também incluem passar por aqui e escrever qualquer coisa.
No ano passado programei aqueles posts com fotografias dos sítios por onde passei para que quem quisesse jogar tentasse adivinhar por onde andava eu. Pareceu-me engraçado e decidi repetir. Com pena, não tive muito tempo para dedicar a essa tarefa e resta-me esperar que tenha ficado bem (as fotos foram  sacadas muito à pressa, se estiver alguma errada queiram desculpar). Estão agendados vários posts e torço para que o Blogger não me deixe ficar mal e não deixe de os publicar, como já aconteceu meia dúzia de vezes. 

Por agora despeço-me, até já, o primeiro post está agendado para esta tarde. Uma dica para quem entrar na brincadeira: é mais do que um país.
A emissão em directo volta dia 17. 
Divirtam-se!

30 julho 2010

António Feio

4 comentários
Se o Karma fosse mesmo mesmo eficaz haveria pessoas que recebiam dias extra de vida e pacotes de saúde para consumir quando necessário, só para as compensar por darem algo de bom aos outros, sorrisos por exemplo. Mas o Karma é só moderadamente eficaz e por isso o António Feio morreu, depois de dar muita luta ao cancro da treta que o atacou.

Prometo-te, António, que me vou recordar de ti não como o homem que morreu mas como o homem que me fez rir. Nessas recordações vais é estar sempre de colete de pele de vaca, mas quanto a isso não posso fazer nada.

29 julho 2010

Amor de Perdição LXXIV

3 comentários
Quando sou eu a arrumar as malas de viagem cabe lá tudo o que se precisa levar. Tudo. Arrumadinho. 
Uma maravilha.
Um dom!


28 julho 2010

Livros de reclamações

6 comentários
Alguém sabe exactamente para que serve o livro de reclamações de um estabelecimento?
Há uns meses fiz uma reclamação em livro, depois de esgotar a minha paciência (e tenho alguma) numa loja. 
Imaginem encomendarem um bolo de aniversário e quando o vão buscar ele não está pronto nem perto disso. Resolvem que podem levar o bolo só ao jantar na sexta seguinte e perguntam se é possível ter o bolo pronto nesse dia, dizem que sim mas tal não acontece. Não foi um bolo de aniversário mas foi um caso destes, numa loja diferente. 
Como ia dizendo, apresentei reclamação em livro. Fi-lo não por isso me ir resolver o problema mas porque sempre achei que é nossa obrigação enquanto cidadãos reclamar do que não está bem para que os serviços melhorem. Silly me. 
Ontem recebi uma carta da ASAE (remember: não era um bolo), em tom de disclaimer, dizendo que depois de analisarem a minha reclamação têm a informar-me que nada podem fazer e que nos termos da lei tal posso recorrer às vias judiciais ou extra-judiciais, uma vez que se trata de incumprimento de questões contratuais (é mais ou menos isto que a carta diz). Well, thanks a lot. 
Eu não esperava que a ASAE me resolvesse o problema, aliás não esperava que a reclamação resultasse em nada para mim. Mas afinal nem sequer fica registado o descontentamento e o péssimo serviço (não) prestado?
Mas, voltando ao inicio, então para que serve aquela bodega? Para reclamar por cabelos na sopa? Não percebo, a sério, expliquem-me!

27 julho 2010

Ódio de estimação LXXIV

0 comentários
Odeio o som das palhinhas a sorverem ar. 
Irrita-me solenemente que depois de uma, duas, três tentativas, as pessoas insistam na procura de uma bebida que claramente já acabou. Isto, claro, enquanto se tenta manter uma conversa.

26 julho 2010

Sobre o projecto moda

3 comentários
1. Ainda bem que é só um projecto. É como os projectos-lei, enquanto são só isso está tudo bem.
2. Ainda bem que eu me visto em lojas espanholas. 
3. Ainda bem que eu vou de férias e não vou ver a série toda.
4. Ainda bem que aquele júri tem outras profissões. 

5. Ainda bem que o programa está a resultar bem. É que no dia de estreia só ouvi falar mal ou assim-assim mas acho que todos os que tinham interesse viram até ao fim, não? Eu vi.

23 julho 2010

(sem título)

2 comentários
Daqui a uma semana vou de férias (finalmente, catano).
Está tudo marcado, é só ir.
Até lá só falta mesmo...tudo. 
Não vale a pena enumerar o que falta porque não tenho nada preparado, nem o que vai nem o que fica. 
Uma das coisas que quero fazer é preparar e agendar posts como fiz no ano passado (ver arquivo da segunda quinzena de Julho de 2009, em caso de curiosidade). Espero ter tempo. 
E ando tão cansada. E preguiçosa. E lenta. 
E eu aqui......Sou o elo mais fraco, adeus.

22 julho 2010

Amor de Perdição LXXIII

5 comentários
Gomas.
Amoras, corações (daqueles com duas cores) e tijolos (ácidos), sobretudo. 
Uma caixa de vez em quando. Hoje, por exemplo, parece-me um bom menu para o lanche.

21 julho 2010

O padre de Fafe

4 comentários
Uma história mesmo muito boa que me alegrou a noite de domingo quando via as noticias, esta

O espírito cristão no seu melhor.
O que se passou foi que o Bispo deu ordem para o padre ir pregar para outra freguesia, literalmente, e o povo não gostou. Até aqui tudo normal, percebo que as pessoas se afeiçoem ao padre, que quando pode não é só a pessoa que reza as missas mas também uma pessoa em quem se pode confiar, que ajuda no que pode etc (tomando como exemplo os padres que o são de facto). 
Mas o povo fica tão indignado que se organiza em excursão para ir ao Bispo...manifestar-se (atitude cristã). E o povo grita "o padre é nosso!o padre é nosso!" (espírito de partilha, espírito cristão) e ostenta cartazes onde se lê que, se o padre não voltar, o bispo "irá-se arrepender" (respeito pelo próximo, respeito pelos princípios da igreja que seguem).
Parece que deviam estar a dirigir-se ao arcebispo e não ao bispo (não sei, estou a ler o link acima) e ameaçam recorrer ao Vaticano (isso é democracia, não é igreja católica). Podem ter muita razão em querer manter o padre mas eu nem sequer consigo concentrar-me nisso quando, em nome da fé cristã, oiço que o padre é deles e vejo pessoas a tentarem invadir (com alguma violência) as instalações à porta das quais se manifestam.

É fraquinho

5 comentários

É que eu por acaso já andava desconfiada. Este estudo respeita aos EUA mas no outro dia disseram-me que os portugueses passam 70 minutos por dia no fb (fiquei tão espantada que fiquei uma semana inteira a remoer o assunto). 
Eu pensei...mas que raio fazem as pessoas o dia todo para só passarem 1h10 no facebook??


(kidding)

20 julho 2010

Ódio de estimação LXXIII

3 comentários
Odeio quando alguém se põe a falar como se não houvesse amanhã nem mais ninguém no mundo, num monólogo interminável, imensamente descritivo em que a única coisa que os interlocutores, vulgo audiência, têm tempo para dizer é hmhm.

Di-á-lo-go. Geeeeeeez.

19 julho 2010

Uma canseira

9 comentários
Diz que sim, que o Prince deu um fabuloso espectáculo ontem à noite no SBSR. Eu cá não fui.
Não é que isto de ter festivais fim-de-semana sim, fim-de-semana não, me desagrade. Também não é por os bilhetes e mais as deslocações, tudo somado em euros, dê uma renda (que não dá, vai-se a ver e dá duas), nada disso. 
É Rock in Rio, Optimus Alive, Marés Vivas, Super Bock Super Rock, Sudoeste e mais os outros lá para cima, mais os Cool Jazz Fests (viram os preços?!) e os soltos que vão passando sem serem notados (diz que Melodie Gardot não foi grande coisa) e mais os que estão para vir que é preciso comprar já antes que esgote... eu até nem me importava de não fazer mais nada da minha vida: ia a concertos, ia para casa (onde tomava banho, ao contrário de outros) e no dia seguinte estava lá outra vez. 
Se calhar devia ser apresentadora da Sic. Ou então artista. Mas isso é capaz de dar trabalho. Vou antes ser conhecida, isso é que era. Festivaleira profissional.

Oh! Encontrei uma nova vocação.

16 julho 2010

É bom, é bom mas só de vez em quando

5 comentários
Já é oficial que o meu transporte público de eleição é o Metro e que o utilizo diariamente. Para mim é o melhor por não estar sujeito a trânsito, apesar de ter paragens ocasionais, mas também porque os sítios de onde parto e para onde vou têm sempre metro, dispensando a utilização de outros meios.
Mas depois tem coisas que são inadmissíveis..a saber, por exemplo:
1. Grande parte das estações não tem acessos para pessoas com dificuldade de mobilidade/com carrinhos de bebé. Nem ninguém que ajude.
2. A estação ao pé da minha casa, e haverá outras, está há meses (meses!!) sem elevador e de um dos lados de acesso ao cais tem aquele acesso mais largo avariado [para quem não conhece, a entrada é feita passando uma cancela, a maioria é estreita para qualquer pessoa e há sempre uma mais larga para carrinhos de bebé, cadeiras de rodas e pessoas com carga]. Já vi uma senhora a carregar o seu bebé, mais o carrinho e o saco e a mala dela e um saco de compras, um lanço de escada inteiro e nem um funcionário para ajudar..se não são os outros passageiros a ajudar, é assim que tem de se fazer até acima.
3. Ontem à noite fui à estação Baixa-Chiado, é funda para caraças, 4 escadas rolantes e mais dois lanços a pé. Junto às primeiras escadas rolantes estava um aviso [vá lá, começaram a avisar] a dizer que a 3ª escada estava avariada: "3ª escada avariada", era o que se lia. Pois que apenas a primeira funcionava. Subi aquilo tudo e cheguei lá acima a ver trocado, estava transparente, foi o que me disseram. 
Se não tivesse seis pessoas à minha espera teria voltado para trás para pedir o livro de reclamações.

15 julho 2010

Amor de Perdição LXXII

5 comentários
Adoro ter pessoas em casa por uns dias.
Os amigos que chegam e se acomodam como dá, as conversas que fluem, as memórias que ficam.
A sensação de conforto, de tempo bem passado, de momento perfeito. 

14 julho 2010

Por favor e obrigada

5 comentários
Zeus me dê paciência e café para ultrapassar este dia.

Eu não preciso de dormir

3 comentários
Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir Eu não preciso de dormir
A ver se resulta..

13 julho 2010

Ódio de estimação LXXII

4 comentários
Odeio sentir a vergonha alheia.
Não por me incomodar que os outros façam figuras ridículas - porque se lhes sinto a vergonha é sempre por isso e essas pessoas não me merecem grande consideração- mas por perturbar a minha paz de espírito com a idiotice dos outros. Odeio o constrangimento que me provoca e o facto de o sentir e não me conseguir livrar dele.

12 julho 2010

E uma banhoca, não?

5 comentários
Oh pessoas que vão aos festivais e arranjam as pulseirinhas que dão acesso às zonas pseudo-VIP onde há coisas à borla...
Vocês repararam que andaram num ambiente cheio de pó? Pois, mesmo que não tenham arredado pé do bar, devem ter dado pelo pó.
E repararam que as pulseiras são de papel?
O que vos estou a tentar dizer, pessoas VIP, é que já que não tomam banho para tirarem a o pó e mais o suor e a porcaria que se ganha diariamente, pelo menos disfarcem, pode ser? É que assim que se vê uma pulseira de papel no pulso de alguém, no dia seguinte a um festival ter terminado, torna-se gritante que aquela pulseirinha não viu água...
e convenhamos que o pulso não é uma zona a salvo quando se toma um banho mesmo que seja muito muito rápido.

11 julho 2010

Ignóbeis

1 comentários
Esta situação é tão idiota que me faz sair do meu descanso do fim-de-semana para falar de assuntos sérios.

Uma pessoa que ocupa um lugar de topo numa instituição pública, a Direcção Geral das Artes neste caso, demite-se por entender que existem demasiadas divergências de opinião (sobre politicas de apoio às artes) entre a sua pessoa e a tutela (Ministério da Cultura) para que ali continue. Por outras palavras, marca a sua posição batendo com a porta.
Ok.
Mas reparem:
O Ministério da Cultura, em comunicado, mostra a sua "grande satisfação" com esta demissão. Satisfação? Por favor... Não fosse já suficiente ainda acrescentam que o homem é "ineficiente" e que tinha "dificuldades em desempenhar o seu cargo".

Quanto à competência do Jorge Barreto Xavier nada posso dizer, não o conheço, sei apenas que tem um curriculum invejável.
Mas que merda é esta de um ministério ter nos seus quadros uma pessoa que considera ineficiente?? Não admito que um cargo de nomeação seja ocupado por pessoas que têm dificuldades em desempenhar o seu trabalho...mas afinal para que existe um Ministério da Cultura neste caso? Para se sentir satisfeito (quase oiço um suspiro de alivio) por não ter que despedir alguém? 
Senhores, idiotas é o que vocês são por emitirem um comunicado em que se ridicularizam totalmente, ao porem a descoberto a maior podridão que existe no nosso executivo: pessoas que não sabem o que fazem. Onde é que alguma vez, por mais divergências que existam, um ministério pode mostrar grande satisfação por um membro da sua equipa (directa ou indirectamente) se demitir por deixar de acreditar naquilo que ali estava a fazer? O que aconteceu à ética profissional quando uma pessoa que é convidada a exercer um cargo (e que pode ser posta na rua à mesma velocidade com que foi posta no cargo) é em oficialmente adjectivada como ineficiente? 
Vão para a escola, a ver se aprendem alguma coisa. Ou escondam-se num buraco bem fundo.

(a incompetência irrita-me, o que querem que faça?)

09 julho 2010

5 maneiras péssimas de acordar

8 comentários
1 - Acordar com calor
2 - Acordar com imenso calor
3 - Acordar com o barulho da coluna de refrigeração (ou ventoinha)
4 - Acordar com calor e não conseguir adormecer por causa do barulho da ventoinha 
5 - Acordar repetidamente, alternando 1, 2, 3 e 4, noite após noite. 

Preciso de um ar condicionado. Ou do Outono.

O Outono é mais barato.

08 julho 2010

Amor de Perdição LXXI

7 comentários
Adoro passar horas em frente ao computador e quando me perguntam "o que estiveste a fazer?" a resposta ser um encolher de ombros e um "nada". 

É tão bom...facebook, ler posts e posts, ver sites disto e daquilo, procurar coisas que me ocorrem, mandar mails e responder, ler noticias, ver videos no youtube, aprender coisas (sobretudo inúteis)...e ter a sensação de que passaram uns minutos, ao fim de horas. Não se fez nada, sabe-se muito mais coisas que interessam imenso, tens mais 20 coisas onde até se podia gastar uns trocos mas no fundo, no fundo, não se fez coisa nenhuma. 
É lindo, maravilhoso. 
Mil vezes melhor que estar em frente à televisão.

07 julho 2010

Rodrigo Leão

1 comentários
Informam-se os interessados em ver Rodrigo Leão no Coliseu de Lx em Novembro [!!!] que os bilhetes estão à venda mas (desconfio que) não por muito tempo.
O meu já cá canta e até teve direito a palminhas de contentamento. 

Entretanto talvez me arranjem convite para o Alive no Sábado. 
É bonita a vida quando não se está a pensar no que se tem para fazer.

Make love, not war?

3 comentários
Ainda não consegui perceber se isto é a gozar ou se é verdadeiro. [via I online]

06 julho 2010

Ódio de estimação LXXI

3 comentários
Odeio que não me respondam. 
Haverá coisa mais irritante?
Falar com uma pessoa e ela não dar sinal de ter ouvido ou prestado atenção, pedir que nos contactem e ficar à espera em vão, enviar um mail e a resposta nunca chegar. 

05 julho 2010

Estado do Mund(inh)o

3 comentários
Mais cortes no que paga o Estado e mais aumentos no que pagamos estão na calha, diz que andámos em festa e eu sinto-me uma cortes. Ou uma excluída já que, a bem da verdade, não me lembro de ter sido convidada. 
O que interessa é que é preciso arranjar dinheiro e o sítio é sempre o bolso do povão. E tanto quanto sei ainda ninguém desatou a cortar nas despesas dos nossos representantes (carros, despesas de representação, deslocação, mais aquela de mudarem de cidade quando já cá moram há 20 anos...)...e quando alguém avança para o corte numa das despesas que o Estado tem, vem outro dizer que é desprestigiante viajar em económica. Se tivessem vergonha na cara faziam melhor figura. 


Numa onda semelhante estão os polícias deste nosso país...já não lhes bastava pagarem as próprias fardas e serem responsáveis pelos danos que os carros tenham enquanto os usam em serviço (o que, quanto a mim, muito justifica alguma ineficiência das forças), pagam também a sua formação em defesa pessoal. Compensa mesmo uma pessoa alistar-se para preservar a segurança das comunidades, hã?



02 julho 2010

Amor de Perdição LXX

2 comentários
É linda a forma como as crianças dizem sempre a verdade. Por mais que se tente esconder alguma coisa, se o filho sabe, os pais podem esquecer o secretismo.

Há uns tempos soube da gravidez de uma amiga porque, depois de a encontrar com o marido e a filha num restaurante e de nos juntarmos à mesa deles, enquanto conversava com a miúda (2 anos) ela me disse que ia ter um mano. Ah sim? Sim, está na barriga da minha mãe. Mais ninguém ouviu, deixei-me estar calada porque achei que lhes devia o direito de contarem quando entendessem (o que aconteceu mais tarde nesse mesmo almoço, não invalidando o facto de que eu já sabia). 

Pessoas com filhos: se vos sair o euromilhões não digam nada aos miúdos senão nunca mais têm paz... 

01 julho 2010

Tão desenrascado que é o tuga..

4 comentários
Ontem.
Metro.
Estação de ligação entre linhas.
Escadas rolantes.
Como toda a gente é muito ciosa das regras de convivência social, havia duas filas de pessoas, uma à esquerda e outra à direita, ambas paradas. Cá por mim tudo bem, nem ia com pressa. 
De repente, a escada pára.
Ah!
Tudo a tentar manter o equilíbrio, que aquilo ainda dá um coice.


E depois?



Depois nada. 
Ficou tudo parado.

Até que alguém gritou "Atão?!"
E as pessoas que iam na frente (já mesmo quase quase no cima das escadas, estão a ver?) lá decidiram pôr-se em marcha e seguir caminho.