31 março 2010

Estado do Mund(inh)o*

13 comentários
1. Matou a madrasta grávida, por ciúmes. Tem 12 anos e arrisca pena de prisão perpétua (coisa que dificilmente acontecerá, digo eu) já que vai ser julgado como adulto. Mas não se preocupem, o pai não se arrepende de lhe ter oferecido uma caçadeira aos 11 anos. Aqui.

2. Cuidado piratinhas! Pelo módica quantia de 19 500 euros vai haver uma pessoa à caça dos piratas de conteúdos da Warner Brother Music. Imaginem quanto não valerá cada processo judicial para decidirem pagar este valorzeco. Aqui.

3. António Costa (presidente da CMLisboa) juntou na mesma sequência de ideias "irresponsabilidade política da oposição" e "gestão financeira". Assim de repente tenho duas palavras para o senhor presidente: Red Bull. Diz-lhe alguma coisa? E se eu disser Air Race? Também não...então eu lembro que no Porto o evento era quase totalmente financiado através de patrocínios e que em Lisboa foi assinado de chapa que a CML (enterrada em dividas até à bandeira) financiaria tudo. Aqui.

*Como sempre o leitor manda: se gostarem do formato, eu repito.

30 março 2010

Ódio de estimação LVII

1 comentários
Odeio apanhar episódios de séries ou filmes a meio (e quando digo a meio é a partir dos primeiros 5 minutos).

Há mesmo algumas séries que opto por não ver um episódio sem ter visto o anterior.
Isto é uma chatice, não sei se estão a ver. É que aparentemente sou uma ave rara e isto provoca uma de duas coisas:
- ou vejo os episódios independentemente do ponto em que os apanho (isto dá-se sobretudo quando eu não sabia ou me tinha esquecido que ia dar aquela série àquela hora e são séries de que não sou a única a gostar mesmo), o que me causa alguma comichão
-ou não vejo, por minha conta e risco, optando por fazer outra coisa (enquanto gente louca, só pode, vê um episódio que não apanhou de inicio) ou procurar uma alternativa num dos (quantos?) canais que temos.

É por isso que estas boxes que gravam são minhas amiguinhas. Excepto quando não funcionam. 
E também os sites onde se podem ver séries (só conheço um mas tem chegado) e onde tenho visto o episódio do dia (e só esse!) umas horas antes, quando chego a casa, não vá o jantar atrasar-se (prendendo-me na cozinha) ou a conversa que o acompanha (na sala) ser, imagine-se!, interessante.

29 março 2010

Toddlers and Tiaras

8 comentários
É um programa que passa no Travel&Living sobre miúdas que participam naqueles concursos de beleza americanos. Pela primeira vez estive a "ver" um episódio...
Uma miúda disse que já mostrou fotografias suas dos concursos aos colegas da escola e que não a reconheceram
Outra (ou a mesma, who cares) que se não ganhar o próximo concurso vai ficar muito chateada
Uma diz-se uma Diva
A pior coisa dos concursos, diz uma depois de manicure, pedicure e madeixas, é tratar do bronze (em spray)
Uma foi apresentada no concurso como a não-sei-quantas que quer casar com um homem rico e a sua comida preferida é pickles
Esta merece citação: "I feel pretty because I have my make-up on"

Todas parecem autenticas barbies, o aspecto plástico incluido. E bochechas rosadas. 
Mas não são tão arrogantes como esperava que fossem.

E as mães dedicam-se a isto. A treinar coreografias, a arranjar fatos ridiculos e perucas a condizer, a levar e trazer as miúdas a todo o lado e a esperar ansiosamente que ganhem os melhores prémios e não os medianos (esses não, "por favor não digam o nome dela"). 
Triste? Normal? Cada um sabe de si?

28 março 2010

(sem título)

7 comentários
Ontem fui ver o Millenium 2 (filme do segundo livro da série com o mesmo nome, de Stieg Larsson, já devem ter ouvido falar) ...
Devorei os livros apesar de serem de um género que não costumo apreciar muito;
Geralmente não gosto dos filmes que adaptam livros que já li (pelos motivos óbvios);
MAS adorei estes dois filmes. E são de realizadores diferentes.
Julgo que não minto se disser que foram os primeiros filmes suecos que vi mas corro o alegre risco de me tornar fã de filmes made in Sweden, oh se corro!

Ia pôr aqui o trailer do filme mas achei demasiado revelador até para quem leu o livro. Mas recomendo m-e-s-m-o [os livros, o filme, uma viagem à Suécia*...]

Se houver recomendações de outros filmes Suecos são muito bem vindas.

*Se quiserem companhia eu estou disponível.

27 março 2010

Ainda sobre o post anterior

3 comentários
Mais podres

Cambada de hipócritas.

26 março 2010

Can't believe it

4 comentários
Pergunto: ter conhecimento de um crime e não o denunciar às autoridades não é também um crime?
E se forem 200 crimes que se ocultam?

Então, se é, porque é que andamos aqui a brincar às casinhas e a  ouvir desculpas como "ah, já tinham passado 20 anos e coitadinho do pedófilo estava doente"? Porque queria acabar a sua vida com dignidade? Hão de me dizer qual é a dignidade de violar e sodomizar 200 crianças surdas que pouco ou nada podem fazer para se defenderem das pessoas que deviam trabalhar em seu beneficio.
E que o Papa está determinado a tomar medidas contra os padres pedófilos? Sabe destes e provavelmente de muitos outros crimes desde meio dos anos 90, é papa desde 2005 e é preciso haver uma escandaleira para se lembrar do assunto? E ainda teve a lata de pedir aos Irlandeses (outro caso) que lessem a sua carta de pedido de desculpas (hello??) com o coração aberto?

Sou só eu a achar que isto está a ser tratado muito levianamente e que os próprios padres da Igreja Católica deviam exigir que medidas severas fossem tomadas, mais não seja para defenderem a sua imagem junto das comunidades e (esses sim) a sua dignidade de pessoas que escolheram, efectivamente, abdicar dos prazeres da vida para se dedicarem a causas maiores*?
Agora é que se recuperavam os cruéis hábitos impostos por esta mesma igreja e encontravamo-nos todos no Rossio para assistir. [esta parte não, mas o resto é sério]

Mais sobre os casos referidos aqui e aqui (Irlanda).
*É isto que é suposto os padres fazerem, não é?

25 março 2010

Amor de Perdição LVI

0 comentários
A cumplicidade que pauta as relações que tenho com algumas pessoas.

"Compreensão profunda, por vezes não expressa, entre duas ou mais pessoas" como define a Infopédia.

Compreensão essa que nos proporciona momentos em que não é preciso falar, um olhar diz tudo. Ou um toque. Ou um arquear de sobrancelhas. 
(há casos perdidos em que a cumplicidade até pode existir...mas não certamente sem ser directa e claramente expressa)
E ainda momentos em que só entende o que dizemos, ou o que queremos mesmo dizer, quem nós quisermos. Ou quem esteve "lá".
E até tenho vontade de dar exemplos mas ia ficar weird.  

24 março 2010

De leite azedo a chá quente*

3 comentários
Tenho a dizer que a nova ministra da educação é quase uma lufada de ar fresco em comparação com a anterior. 
A Maria de Lurdes Rodrigues (MLR) nunca sorria, a Isabel Alçada (IA) sorri com frequência e parece estar sempre bem disposta, sendo que até agora não me lembro de a ter visto ser indelicada com jornalistas.
A MLR tinha a mania e optou sempre pela imposição, nunca me pareceu muito interessada em melhorar o sistema. A IA parece ter efectivamente a noção daquilo que se passa nas escolas, mesmo que não seja uma visão completa (ainda não teve tempo de se provar conhecedora). Talvez por isso, mesmo ainda não tendo feito muito, deixa a imagem de que quer saber, quer melhorar a situação e quem sabe venha a fazer algo de bom, se a deixarem. 
A IA é, além disso, uma pessoa elegante no trato e que separa as suas "vidas" (escritora/ministra) com uma classe que vejo em muito poucas figuras públicas.

Não vou tão longe que diga que gosto da senhora, mas respeito-a. E respeito foi coisa que nunca tive pela MLR. E eu não sou professora.


*Para mim, que odeio leite e adoro chá.

23 março 2010

Ódio de estimação LVI

11 comentários
(a minha alma está parva perante a descoberta de que este ódio tão profundo nunca aqui foi claramente exposto)

Eu odeio bigodes.

Mesmo. 
A sério.

E, sim, relaciono-me com pessoas (sobretudo do sexo masculino) que usam bigode. E até gosto delas, a sério que sim, apesar do bigode.




Barba de até 3 dias acompanhada de bigode não incluída.

22 março 2010

Blackbird

8 comentários


Da BSO do I am Sam (só covers de músicas dos Beatles).
Já agora, se alguém tiver esta banda sonora no seu computador e quiser partilhar comigo está à vontade para me mandar por mail, sim? É que o CD tem aquelas protecções idiotas que não deixa copiar para lado nenhum..só podemos mesmo ouvir no lar (ou andar com o cd, coisa muito século passado).

O tempo (small talk)

0 comentários
Afinal o aquecimento global não lixou isto tudo. Começou a Primavera e a chuva acalmou ao mesmo tempo que o sol aqueceu (bastante, pelo menos aqui). 
Sim, eu também já estava farta do Inverno este ano, mas que venha depressa o Verão que eu não tenho paciência para alergias primaveris.

19 março 2010

Post inevitável

5 comentários
Ser pai é uma coisa linda. 
Ser pai não é ter filhos. Ser pai é criar pessoas fazendo o melhor que se pode. 
Chamar pai àquele que nos gerou é, para mim, uma hipocrisia. Que pratico. 
Não escolhemos a quem chamamos pai, somos ensinados: pai, mãe, irmão, irmã, avô, avó, tio, tia, primo, prima. Mas somos como os animais, que gostam sempre mais de quem os trata bem (e, sobretudo, de quem lhes dá de comer). O cão não corre para quem lhe bate com o jornal mas abana a cauda a quem o cumprimenta sempre com uma festa atrás das orelhas. 
"Pai", para mim, é uma convenção. Há um homem de bigode* a quem me refiro como pai mas o meu pai é a minha mãe. E é um bom pai. E mais gira também. 


Maus pais há muitos, talvez por ser a forma fácil. Por isso talvez seja mesmo boa ideia que os bons pais sejam celebrados hoje e no resto do ano. Os bons mesmo, não as figuras presentes. Alguns terão sido maus maridos mas pais dedicados, também contam claro. 
Sim, é boa ideia que este dia exista mas esqueçam as hipocrisias tanto quanto vos for possível.. bem me lembro da relutância com que fazia aqueles presentinhos para o dia do pai quando andava na escola.

Aos bons pais, muitos parabéns. Às boas mães, claro, também. 

*E que não me merece mais do que um post "dedicado" em cada vida. E só tenho uma dessas.

18 março 2010

Get a life

8 comentários
Eu já percebi que há pessoas que entendem o facebook como um angariador de amigos. Pessoas essas que adicionam toda a gente que lhes aparece à frente enquanto analisam os amigos dos amigos, nos seus perfis.
Tudo bem, acho um bocado estranho mas se o objectivo for ser quem tem mais "amigos" é assim que se chega lá.
Mas depois há pessoas que chegam mesmo a roçar o ridículo. Hoje tinha um convite de mais uma pessoa de que nunca ouvi falar, tudo bem..i get it, i'm irresistible. Fui ver, como faço sempre, de onde tinha vindo aquela alminha. Geralmente são amigos de amigos. Mas este não, temos um amigo em comum... mas é um bar.
Um bar? Sim, um bar. Um bar é um sítio onde se podem conhecer pessoas mas tentar fazer isso sem ir ao dito é muito, muito moderno. E desesperado.  

Amor de Perdição LV

0 comentários
Adoro todos os anúncios do Nissan Qashqai.
Como este, por exemplo:




E os outros todos, que me lembre. 
Deve ser porque percebo imeeeeeeenso de carros. Já vos tinha dito? Pois é. 
Sei que têm portas, bancos, capot, bagageira, pneus (que até já há dos que não precisam de ar), jantes, motor, precisam de óleo e combustível, e têm cor (claramente o mais importante). Tal como disse, imeeeeeenso.

17 março 2010

M/12

4 comentários
Fui ver o Alice no País das Maravilhas no sábado passado. A sala estava cheia de miudagem, não obstante o facto de o filme estar classificado para maiores de 12. E ser a versão original. Tenho quase a certeza de que o pequenote que estava sentado atrás de mim, que precisou de um daqueles banquinhos para lhe dar altura e passou o tempo a pontapear-me a cadeira e a falar (quem me manda ir ao cinema num final de tarde de sábado?), não percebeu sequer metade do filme. Provavelmente não sabia ler. 

Não considero os filmes do Tim Burton propriamente infantis apesar de serem fantasiosos e de não terem elementos de choque "clássicos". Excepção feita ao Sweeney Todd. Percebo se alguém assim os considerar, eu apenas lhes encontro muito mais do que a simplicidade de imagens bonitas + personagens (leia-se Johnny Depp) lindas, e isso faz-me pensar que não são infantis (isto já sem JD).
Mas se aquela classificação existe, ainda que seja diferente de país para país, e se há pessoas cujo trabalho é fazer a avaliação da adequação dos conteúdos a faixas etárias, segundo critérios pré-definidos (suponho), não me parece sensato levar ao cinema crianças com idades bastante inferiores.
Se calhar dos 10-11 anos aos 12 vai pouca diferença e cada criança é um caso mas eu tinha ao meu lado uma miúda (gira que se fartava) com uns 7/8 anos e o de trás, como vos digo, pareceu-me nem saber ler. E certamente os acompanhantes nunca tinham visto o filme antes, pelo que não puderam avaliar previamente se o filme podia ser visto pelas suas crianças. 

Em suma, acho mal. Pergunto: am I too square?

Ah, e nem estou a falar de perceber o filme, parcial ou totalmente, que isso é bem diferente.

16 março 2010

Ódio de estimação LV

4 comentários
Andar de bicicleta. 
É desconfortável, chato e eu não consigo achar piada nenhuma à coisa. Mesmo que seja só para ir de A a B, não gosto da opção bicicleta. Nunca gostei, é daquelas coisas sem grandes explicações para serem dadas. 
E quase toda a gente gosta e eu não percebo porquê!

15 março 2010

À senhora que vinha agora ao meu lado no metro

14 comentários
Cara senhora, 
Eu sei, por experiência própria, que observar a vida dos outros é interessante. 
Assumo a leitura de mensagens escritas pelos outros como mais uma forma de voyeurismo, nada contra. 
Percebo muito bem que o livro que estava a ler (que não pude saber qual era porque tinha a capa tapada, sua marota gosta de ver mas não mostra nada!) podia ficar para mais tarde e até podia ser menos interessante que a mensagem que eu estava a escrever.

Mas se opta por fazer isso, permita-me dar-lhe uma dicas sobre a discrição:
-Se não quer que toda a gente, incluindo o visado, note o que está a fazer, mantenha o livro aberto
-Não se apoie no ombro da pessoa, por muito que isso lhe facilite a leitura da mensagem
-Vá mexendo a cabeça, numa de "estou só a observar o que se passa na carruagem", para pelo menos deixar dúvidas quanto ao seu real interesse em cada pessoa/coisa (é que, está a ver, ou estava a olhar para o meu telemóvel ou para os sapatos feio do idoso do banco do outro lado do corredor)

Se se esquecer de algum dos anteriores, tente estas, para safar:
-Não abra o livro logo que o telemóvel em que se escreve a mensagem é guardado
-Não desvie a cabeça abruptamente nem quando o telemóvel é guardado nem quando o seu dono a olha de soslaio. Opte por um olhar perdido, sem se mexer.
-Faça por não reagir ao que é escrito. 

Sem mais, 
muito lhe agradeço o interesse,
A pessoa que não lhe facilitou a vida, hoje, no regresso a casa

P.S. Não se preocupe que não perdeu muito, antes daquela mensagem que leu tinham sido só duas e depois daquela foi só uma.

No meu tempo a vergonha não era assim

2 comentários
A realidade em que vivemos muda constantemente. Grande novidade. Até é bom, às vezes.
Nas minhas divagações dos últimos dias constatei que a vergonha é uma das coisas que mudou muito e para pior. Hesito se os princípios fundamentais mudaram ou não, opto pelo não. Continuam os mesmos, poucos querem saber deles se isso os impedir de alguma coisa.

Voltando à vergonha, está tudo trocado.
Os pais já não têm vergonha que os seus filhos sejam mal-educados, já não lhes pesa na honra por isso riem-se.
Na escola, os putos não têm vergonha de terem más notas e de serem suspensos por mau comportamento. Vergonha é ser certinho, aplicado e cumprir objectivos. 
Agora têm-se vergonha de se ser pobre, e tudo é pobre se não for proprietário de alguma coisa. Trabalhar que nem um mouro para conseguir sustentar a família e chegar ao fim do mês com pouco? Vergonha.

Mas como muda o povo se os supostos letrados, aqueles que supostamente gerem o país, que o conduzem [para um buraco negro] , são quem faz pior e menos sofre consequências? 
Roubar e ser apanhado, nada de mais, sinal de esperteza por tudo o que se roubou sem ninguém dar por nada.
Em época de crise administradores públicos terem carros de serviço novos que custam mais que a casa de muita gente? É um direito que têm, carro de serviço com motorista. 
Fazerem-se inaugurações faustosas de obrecas públicas, depois de estas terem ultrapassado o orçamento em milhões de euros sem que ninguém peça responsabilidades...também nada de mal, nem na inauguração nem na trapaça.

12 março 2010

Não é piada, é mesmo verdadinha

8 comentários
- Ouve lá, então o X da série tal morre?
(eu) - O quê? Não!
- Então mas eu ontem vi, aliás no episódio de anteontem estavam eles...
- Ah! Eu não tenho visto, nem sabia que estava a dar. Tu é que tens visto e perguntas-me a mim?
- Mas ouve! Nesse episódio eles foram [censurado*]
- Não, não, não contes!
- Mas eu quero contar!
- Mas eu quero ver a série quando passar outra vez, não contes, não quero saber. 
- Mas eu quero contar!
- Também não gostas que te contem os filmes pois não?

E depois amuou. E não falou mais comigo.e não é de uma criancinha que estou a falar ,que para discutir o Ruca estou sempre disponível. O Noddy é que não.
Liberdades, tudo muito lindo mas só quando é para nós. Que lata.

[* para não vos fazer o mesmo]

11 março 2010

Amor de Perdição LIV

3 comentários
Esta moda dos produtos "verdes".
Bom, eu gosto de produtos verdes ponto mas o que quero dizer é que aprecio especialmente que agora estejam na moda.
Já diz a sôdona Heidi que one day you're in... ainda assim, acho que vale a pena mais não seja para enraizar alguns produtos nos nossos hábitos e, hopefully, para lhes baixar o preço por haver mais concorrência (?).  Ou, melhor ainda, para marcas "não verdes" passarem a sê-lo. 

 

10 março 2010

Ah foi?

4 comentários
Diz que nos últimos 3 meses foram 44 sismos.
Não sabia de mais de 10, e já estou a contar com réplicas. E vocês?

09 março 2010

Ódio de estimação LIV

3 comentários
Livros de auto-ajuda. 
Odeio o conceito, por si só. Nunca li nenhum, é verdade, mas imagino-os todos como colecções de clichés e filosofia de algibeira. 
Não gosto porque os considero estupidificantes e redutores da condição humana.
Não somos todos iguais (felizmente), como pode um livro ensinar-nos a ultrapassar momentos difíceis, a ter sucesso profissional, a atingir patamares de felicidade? Com generalizações. Generalizações? Pois, daquelas que ouvimos quando cuscamos (cusco, pronto) a conversa das pessoas no metro - aquelas em que se queixam um para que o outro possa dizer a frase feita da praxe (às vezes parece que qualquer coisa é melhor que estar calado). 
E quando me oferecem livros de auto-ajuda sinto-me ofendida. Ofendidinha, vá.

08 março 2010

Oscars...

1 comentários
Mas que seca. Está pior de ano para ano, será da crise?

Gostei:
O Jake e a Maggie Gyllenhall (gosto sempre deles, mas foi especialmente fofinho ele a falar sobre ela na passadeira)
O Christoph Waltz levar o Oscar para melhor actor secundário (merecia tanto, tanto, tanto)
O número de apresentação dos nomeados para melhor banda sonora (o vídeo irá aparecer com certeza)
O Matt Damon 
Apresentação do Oscar para melhor filme estrangeiro pelo Tarantino e o Almodovar (gostei da escolha, apenas)
O finalzinho (melhor realizadora e melhor filme)

Não gostei nadinha:
A cara de parvo com que o George Clooney passou toda a cerimónia (devem-lhe e não lhe pagam?) e aquele penteado
O apresentadores (escondam-se!)
As "surpresas" que não surpreenderam
As homenagens (nem uma lagrimita, acho que isso diz tudo)
O Macaulay Culkin (sim, esse)...estranho, o miúdo. 


07 março 2010

Viva o E!

1 comentários
O único canal a passar passadeira vermelha em directo. E com Ryan Seacrest!

05 março 2010

(sem título)

3 comentários
Conhecermos uma pessoa significa, entre outras coisas, que temos expectativas sobre ela: como será connosco, com os outros, consigo próprio, ...
Essas expectativas criam-se num processo simples: conhecemos a pessoas, criamos uma imagem, esperamos que a pessoa aja de acordo com aquilo que (vemos que) é. Conhecemos mais um bocadinho e adequamos a imagem. 
Mas às vezes as pessoas não são como nós esperamos. Ou, mais comum, fazem coisas que não esperávamos. Às vezes é bom (ai, como são boas as expectativas baixas!), outras vezes apenas diferente, outras ainda é mau - aquilo a que chamamos desilusões. 
A desilusão é uma coisa triste, olhar para alguém que conhecemos há muito e ver nela coisas más que antes nunca lá estiveram e vê-las sobrepondo-se ao resto é azedo. Será que sempre lá estiveram e nós é que nunca vimos ou quisemos ver? Terá sido um momento de fraqueza em que aquela (nossa) pessoa sucumbiu a um capricho de malvadez? Ou, pior que tudo, seria aquela imagem que temos/tínhamos da pessoa apenas uma personagem do filme das nossas vidas, que idealizámos porque precisámos que assim fosse e nos esquecemos de actualizar, aproximando-a da realidade?
E agora, se as expectativas são más companheiras, a desilusão é triste...que dizer da dúvida?

04 março 2010

Amor de Perdição LIII

6 comentários
Venero o cheiro das lojas Uterque
É tããão bom que sempre que posso vou lá, nem que seja só passar à porta para sentir o cheiro uns segundos.
Alguém sabe a que cheira? Quero aquilo na minha casa!

03 março 2010

No metro, sempre no metro

7 comentários
Queiram desculpar a nojice.
Segunda-feira, senhora...quer dizer, mulher...com os seus 40 e alguns anos puxa do palito e começa a palitar os dentes. (Já disse que isto foi no metro?) urgh, pensei eu. Depois guarda o palito na mala (wth?) e cospe os restos do almoço palitados para o chão da carruagem. Pega na malinha e sai, pois então.
O meu almoço deu umas voltas no estômago. E senti-me envergonhada, a sério.

...

10 comentários
A partir de que idade é que deixamos de ter namorado e passamos a ter companheiro?

02 março 2010

Ódio de estimação LIII

4 comentários
Odeio aquelas pessoas que não se sabem calar. Não são aquelas que falam pelos cotovelos. São aquelas que quando começam a falar não param independentemente do que lhes foi perguntado, da situação ou da conveniencia. Aquelas que lhes perguntam quanto é 1+1 e respondem com o raciocínio e o resultado de uma equação de terceiro grau. Mesmo que as mandem calar. Ou que toda a gente à volta esteja já a entreolhar-se, incomodada. 
E também odeio aquelas que ligam tarde e a más horas e ficam tagarelando, em monólogo pois claro, até se lembrarem que também elas têm coisas para fazer. Sabem? Como quando nos perguntam se interrompem alguma coisa, respondemos que estávamos a jantar e que digam o que precisam/se é urgente e depois não se calam. E as pessoas à espera na mesa, mais a comida a arrefecer. 

Decidiram, está decidido

2 comentários
 
Mas claro que as vossas opiniões continuam a ser sempre bem-vindas. 
Amanhã (que é como quem diz, hoje) continuam os Ódios, na quinta os Amores. Como de costume. 
Mais uma vez obrigada a todos os que votaram!

01 março 2010

...

0 comentários
Hoje é o último dia para decidirem se os Amores e o Ódios continuam ou acabam. Podem votar até às 23h.
(ali ao lado, abaixo dos últimos comentários)

Pior que mais de 700 mortos

1 comentários
(no Chile)
(se ainda não tiverem visto imagens, vejam os vídeos do sismo e do resultado que estão no link)

Já imaginaram o que é ficar preso, sem se saber se alguém anda à nossa procura, com a dúvida constante se nos safamos? E não poder fazer nada e ter todo o tempo para pensar e não saber o que aconteceu à nossa gente e ter dores e não ter o que beber ou comer e tudo.