31 janeiro 2010

Triste mas verdade

4 comentários
1.EUA suspendem retirada de feridos graves do Haiti até que se decida quem paga os tratamentos. Nada de novo aqui, todos sabemos que o dinheiro manda mais que tudo o resto. É triste, repugnante e não há muito que possamos fazer além de esperar que os nossos contributos sejam bem utilizados.


(noutro contexto)
2. Hoje, domingo 1h da manhã, no caminho para casa vi três miúdos a atravessarem a autoestrada. Não lhes vi a cara mas pelo tamanho não podiam ter mais de 12 anos. Atravessaram pelo menos 6 faixas, havia ainda algum transito e estavam todos vestidos com roupa escura. Só dei por eles por ter visto movimento perpendicular ao sentido dos carros.

29 janeiro 2010

Amor de Perdição XLVIII

5 comentários
...que o Woody Allen tenha mudado a sua (so-called) musa da Scarlett Johansson para a Evan Rachel Wood.
Nada contra a Scarlett, ao contrário de muitos. Gostei de a ver no Lost in Translation e mesmo no Match Point, não achei que estivesse mal no Vicky Cristina Barcelona, a miúda não teve culpa que a Penélope também lá estivesse (a roubar-lhe o protagonismo).
Mas gosto da Evan Rachel Wood e acho que ainda não teve o seu momento. É a miúda daquela série fofinha, Começar de Novo/Once and Again, e é talvez mais conhecida pelo Thirteen onde acho que esteve bastante bem, só ninguém lhe pegou para bons filmes como fizeram, por exemplo, com a Dakota Fanning.

Além disso o Woody volta a NY...para mim promete.
Whatever works, já agora, estreia em Portugal para a semana.

28 janeiro 2010

Ainda sobre o ministro Teixeira dos Santos

4 comentários
Eu não acho que o ministro tenha obrigação de baixar o salário dele. Mas, já que a questão lhe é posta (foi muito bem entalado porque a pergunta foi porque é que ele não faz como os ministros irlandeses que baixaram os seus próprios salários), pelo menos não tente atirar areia para os olhos das pessoas. Não é SE for necessário, é por demais óbvio que essa necessidade existe. Pelo menos diga logo que é um português igual aos outros e que também quer manter tantos tostões no bolso quanto lhe for possível.
Pessoalmente acho que devia haver um esforço no sentido de equilibrar os salários. Talvez congelar valores inferiores a 500/600€ seja exigir um esforço bastante grande e baixar superiores a 3500€ não seja sequer perto de um esforço (mesmo considerando que quem tem estes valores mensalmente opta por compromissos financeiros mais altos). No entanto, objectivamente, os ministros/gestores públicos não têm qualquer obrigação de baixar o próprio salário. 

Não percebi

4 comentários
Estive aqui pensando, pensando...e não percebi.
Ó senhor ministro, explique lá se faz o favor,
"...se for necessário baixa o seu próprio salário"

Mas como é que é isso do SE for necessário?

27 janeiro 2010

Ódio de estimação XLVIII

4 comentários
SPAM
Que coisa irritante.
No, I don't want to enlarge my penis, thank you.




Origem da palavra SPAM
ou pelo menos é o que consta.

26 janeiro 2010

(sem título)

21 comentários
para mim.

Verdadinha

12 comentários
Ora isto já foi ontem e é verdade, verdadinha, juro.
O sítio é o do costume, metro.
1. Sabem aquelas camisolas de malha mais compridas, assim pelo meio das nádegas? Isso.
2. Já viram aquelas pessoas que usam essas camisolas (só) com leggins? Leggins, aquelas coisas que estão a meio caminho entre os collants e as calças de desporto mas que não foram imaginadas para serem usadas como "parte de baixo" mas sim como uma "camada de baixo". [Não posso ser eu a única a abominar o uso de leggins como calças. Não sou pois não?] [Já agora, para mim leggins+camisolas que não tapam pelo menos o rabo são o equivalente feminino das calças abaixo do rabo com os boxers à mostra]
3. Sabem aqueles collants com riscas horizontais que vão apenas até um pouco acima do joelho? [sempre achei que o fim das riscas marcava o sítio onde deve aparecer a saia/calções]

Agora imaginem a dita camisola com collants às riscas. Só isso. Collants como se fossem as leggins de 2.
Estão a imaginar? Não. Não estão, porque eu ainda não vos disse que a senhora tinha uma barriga de fim de gravidez [isto segundo a minha avaliação, não sou conhecedora do tema mas garanto-vos que a última gravidez que acompanhei foi de 9 meses e a barriga não foi tão grande como aquela].
Agora, imaginam?
Too much information.

25 janeiro 2010

Happy monday

2 comentários
Eu que nunca me lembro daquilo que sonho, esta noite acordei várias vezes sempre a propósito de sonhos parvos. Um deles era eu a querer tirar uma fotografia a uma nota de 10 euros que no verso em vez de um "10" tinha um "20", mas por qualquer razão não conseguia tirar uma fotografia de jeito. Sonhos deste género e pior.
Acordo, fico na ronha, levanto-me e vou à minha vida. Entro no wc e oiço poc-poc-poc, penso "olha, porra, ficou a torneira a pingar desde ontem de manhã" depois olhei para cima e vi que não, é a porcaria de uma infiltração no tecto. Há um mês que acabaram as obras de reparação das infiltrações do prédio naquela casa-de-banho.

23 janeiro 2010

Mudando de assunto

7 comentários
Experimentar roupa na Mango faz-se sentir gorda.
Os tamanhos são um bocado pequenos, não são?
Era só. Bom fim-de-semana.

22 janeiro 2010

Hugo Chávez

5 comentários
Não percebo esta personagem.
Reflexões sobre o que tem feito à parte, o homem é um desbocado. Mas ainda não percebi se é um louco-desbocado* ou um político-desbocado.
A acusação que veio fazer (que o sismo no Haiti foi provocado por testes de uma arma pelos EUA) é muito grave. Não percebo se faz esta declaração de ânimo leve e segue com a sua militância anti-americana com um sorriso ou se, pelo contrário, é uma das poucas pessoas dispostas a não se curvar perante o poder daquele país e a fazer uma denuncia destas.
Tendo em conta o seu passado mediático inclino-me para a primeira hipótese, é apenas um "louco". Mas, e se não é? Se for verdade o que diz e uma coisa como esta passar sem ser considerada?

*Não sou tão ingénua que considere que o homem é realmente louco e que, a ser brincadeira, não pensou exactamente nas consequências do que disse. Sobretudo na agitação que pode causar.


21 janeiro 2010

Amor de Perdição XLVII

5 comentários
Durante esta semana que passou calhou ler dois/três posts noutros blogs sobre Barcelona e... bateu-me a saudade. Por isso hoje o Amor de Perdição é a cidade de Barcelona.

Para quem ainda não sabe, vivi lá uns mesitos e deu para conhecer a cidade, embora não tão bem como gostaria.
Optei por pôr aqui uma das coisas que adoro na cidade, pode ser sui generis mas não podem negar que os passeios de BCN são lindos e easy to love.


E, claro, como quase metade da cidade (ok, exagero), foram desenhados por Gaudi. E não são todos iguais.

20 janeiro 2010

10 coisas que não me saem da cabeça

2 comentários
O desafio veio da P. e resume-se a dizer 10 coisas que não me saem da cabeça.

1. o que tenho para fazer e ainda não fiz (e que vou adiando)
2. o blog e o que escrever
3. musicas...sabem quando ouvimos uma música e depois estamos sempre a cantarolar mesmo que não gostemos daquela?
4. como aproveitar o fim-de-semana que se aproxima
5. alguns sonhos e ambições
6. os muitos projectos que idealizo, mesmo sabendo que não vão mesmo sair-me da cabeça (para a prática)
7. os aniversários que se avizinham, sei (sempre) quem é o próximo a fazer anos
8. a catrefada de parvoíces que imagino e que me obrigam a fazer figuras tão lindas como rir-me sozinha em locais públicos
9. dinheiro
10. "ai que nervos...!"

E vocês?

19 janeiro 2010

Ódio de estimação XLVII

1 comentários
Ter que andar a puxar informação a saca-rolhas.
Parece-me mais simples dar toda a informação que se tem a quem possa ter interesse. É melhor informação a mais do que a menos, ou não?
Depois, claro, é um sem fim de mails ou telefonemas ou o que for preciso e ser muito chatinho para se saber aquilo que é preciso e que não custa nada dizer de início. Ainda por cima é chato para todas as partes envolvidas.

18 janeiro 2010

Coisas que se descobrem a ver os Golden Globes

3 comentários
Eu realmente devia ser mais cusca.
Acabei de descobrir que o Kevin Bacon é casado com a pessoa do The Closer, a Kyra Sedgwick.

14 janeiro 2010

Amor de Perdição XLVI

8 comentários

Sushi.

excepção feita a temakis.

13 janeiro 2010

...

8 comentários
Ontem apanhei um taxista que estava muito incomodado porque estão a acabar com o circo. Foi assim:

..Pois...
...Agora querem tirar os animais do circo!
..Pois...
...Ainda no outro dia fui ao circo e aquilo já não é como era há uns anos, já nem tem trapezistas e ilusionistas...tinha para lá uma chinesa ou lá o que era.
..Hmhm...
...E esta de quererem tirar de lá os animais..não percebo. Os animais são bem tratados, ninguém lhes bate.
...................

Aos senhores das lojas e dos catálogos

1 comentários
A ver se nos entendemos:
Os senhores fazem saldos, promoções e descontos. "-50%" ou "Tudo até -50%" ou outra percentagem qualquer. E fazem bem.
Mas depois escrevem "Poupe até -50%". Que é mais ou menos como dizer "Pague 3/2 do valor inicial"... uma pessoa não poupa até menos seja o que for, isso é pagar mais. É o pague 4 e leve 3 das roupas.
Portanto, as poupanças nunca levam o menos, ok? De nada.

12 janeiro 2010

Ódio de estimação XLVI

5 comentários
Neste momento odeio apoios ao cliente.
Sempre a despachar, a tentar não se incomodar demasiado e a imputar o problema a terceiros.
E a culpa não é das pessoas que atendem, geralmente.

08 janeiro 2010

Sobre o mesmo tema

14 comentários
Por estes dias, parece-me, as opiniões vão dividir-se em três: os que acham que a malta se passou dos carretos e que esta "brincadeira" foi longe demais, os que acham que o país deu um passo em frente no sentido de se tornar mais justo e até mais civilizado, os que acham que foi bom mas ainda não chega (pensando, em muitos casos, que as propostas mais à esquerda é que deviam ter sido aprovadas).
Eu estou no segundo grupo, mas danço com os do terceiro.
A grande diferença, para quem não sabe ainda, entre a proposta aprovada e as outras é que esta não inclui a adopção por casais homossexuais.
Eu acho que toda a gente deve poder ser pai/mãe/família de acolhimento e toda a gente deve poder adoptar, porque penso que as instituições como orfanatos e afins devem ser locais de passagem e nunca o sítio onde crianças se tornam adultos. Não tenho nada a apontar às instituições em causa, pelo contrário, mas não vejo qualquer vantagem em manter crianças nesta situação, por um lado, e pessoas que querem adoptar sem essa possibilidade ou a ter de adoptar fora do país, por outro. Da mesma forma não percebo porque é que há pessoas que acham melhor ter crianças a crescer nestas instituições do que a serem criadas por dois homens ou duas mulheres. Falam-me da estrutura familiar, eu nunca tive uma dessas e não é por isso que sou mais avariada das ideias do que a restante população. Quantas pessoas criam os filhos "sozinhas" e são bem sucedidas nessa tarefa? Falam-me das figuras femininas/masculinas que faltam num casal homossexual adoptante..mas desde quando vivemos todos dentro de caixinhas onde a única influência é quem mora lá em casa? E os avós, os amigos, os tios, os padrinhos?
Eu penso assim, mas continuo a estar no segundo grupo porque alimento a esperança de que a próxima vez que se fale sobre adopção por homossexuais seja para refazer todo o sistema de adopção nacional que sei, porque acompanhei algumas tentativas de adopção, funcionar tão lentamente que leva as pessoas ao desespero e muitas crianças e jovens a nunca chegar a sair do sistema sem ser por emancipação. Não é assim noutros países, não percebo porque tem de continuar a ser assim em Portugal.

Estou...

4 comentários
contente e expectante.

07 janeiro 2010

Amor de Perdição XLV

6 comentários
Gosto de começar a ler um livro.
Há todo um ritual em volta disso: Observar a capa, ler a contracapa (às vezes pela centésima vez), abrir, sentir o cheiro, ler as badanas, começar a folhear (uma folha de cada vez), voltar ao cheiro que é tão bom, começar a ler devagar e deixar-me entrar no ambiente, coisa que só bons autores e boas traduções são capazes de fazer acontecer.

06 janeiro 2010

05 janeiro 2010

Ódio de estimação XLV

6 comentários
Odeio a repetição da conversa "ai gostava tanto de ser avó/bisavó" que não falha um único almoço de família [dele]. Quando a minha mãe também vai é um vê-se-te-avias com os "ai eu também" e os "pois, não se distraiam muito".
Ainda por cima vem com encomendas, "então se fosse uma bonequinha [até os olhos se riem]...é que eu só tive netos homens".
Gosto muito da família mas isto cansa. E eu não sou um catálogo de vendas.

04 janeiro 2010

Amor de Perdição XLIV

2 comentários
Pormenores.
Porque a vida é feita de pequenos nadas.