12 novembro 2010

(sem título)

Certo dia da semana passada o ferro de engomar lá de casa pifou. E eu, que não sou de me chatear quando acho que as coisas cumpriram o seu serviço durante tempo suficiente, resignei-me que o bicho ia para a reforma e que era preciso comprar um novo. 
Lá fomos, nessa mesma noite, em busca de substituto. Geralmente para compras escolho a companhia da minha mãe que além de ter paciência e andamento, é dotada de enorme sabedoria (é o que lhe digo). Mas ela estava ocupada e por isso foi o sr. sweetheart. E a mãe ao telefone.
Estava eu de conversa sobre marcas quando digo (à minha mãe) "ah não essa não, o único que está aqui é feio". E levo com o olhar e o gesto das mãozinhas junhas como quem me reza pela alma e "que parvoíce estás tu a dizer?!" e depois verbalizou, dizendo que isso não devia ser um critério.
Ora então, está muito bem. Tanta 'censura' vinda de alguém que mesmo não percebendo nada de tecnologia compra um LCD em vez de uma tv mais barata que ocupa um metro cúbico. Que decide a cor do microondas antes de decidir se quer com ou sem grill e coisas parecidas. 
São tão engraçados os homens (da minha vida).

0 comentários: