21 setembro 2010

Ódio de estimação LXXIX

Odeio dobragens. São tudo de mau.
As traduções já são terreno minado, com tanto erro.
Mas nas dobragens não se perde só o significado, perde-se a entoação e a voz. E são um atentado à criação artística*.
Já imaginaram nunca ter ouvido a voz dos actores americanos? Já vi a cara de surpresa de alguns amigos italianos ao ouvirem pela primeira vez o original de um filme que viram imensas vezes. 

*ainda que seja, ao mesmo tempo, uma actividade que dá emprego...

10 comentários:

Fuschia disse...

Custa-me a perceber que isso seja prática comum noutros paises. No dia que assim for cá, simplesmente deixo de ver televisão e ir ao cinema.
E acho que acaba por dar aos portugueses uma prática de ouvir inglês que depois é util quando se aprende a lingua. Eu e acho que muita gente, sabia que determinada frase em inglês está errada, só porque soa mal.

Lilith disse...

Giro, ainda ontem comentei com a minha mãe o quanto odeio dobragens nos documentários (e em geral, mas nos documentários é muito comum) porque perde-se a emoção na voz das pessoas. As vozes das dobragens nos documentários são sempre as mesmas e falam sempre num tom monocórdico, como se estivessem a ler de um papel.

Nem que a pessoa do documentário esteja a falar chinês, prefiro ler legendas do que ouvir uma dobragem em português. Acho que os portugueses só fazem um bom trabalho de dobragem nos desenhos animados e filmes da disney, e mesmo assim o original é sempre melhor.

L'Enfant Terrible disse...

Das poucas coisas sensantas que ainda se faz neste país - As não dobragens! O que muito me admira!

GATA disse...

Os espanhóis dobram tudo, e também tinham a mania de traduzir tudo (tipo "Los Piedras Rolantes" ou "U-dos"...) A segunda mania passou-lhes mas a primeira mantém-se. Se bem que em Madrid já tens cinemas que passam a versão original dos filmes, com legendas... mas é para gente 'intelectual' (como eu LOL) porque, para a maioria dos espanhóis, a legendagem ainda é uma coisa do demo! :-)

Lilith disse...

U-dos ... não sei se ria ou se chore.

Inês disse...

Tens razão. Por outro lado, as dobragens também têm a sua utilidade, nomeadamente na animação infantil. Mesmo em termos televisivos, podem ser positivas para a franja da população que não sabe ler. Posto isto, gosto mesmo é de versões originais de filmes e não consigo perceber como há países em que praticamente nada é legendado.

Mnemósine disse...

Pois é Gata, eu sei. Em BCN ia ao cinema Verdi mas limita bastante.
Ver os Simpsons dobrados era perturbador e havia uma série americana qualquer que às vezes viam lá em casa que era de morrer ao ouvir as vozes tão desfasadas do aspecto dos actores.

Goldfish disse...

Um ex-roommate do mariducho em Madrid dizia que a voz espanhola (?!?) do Bruce Willis era muito mais convincente que a original. Não sei o que se pode responder a uma destas.

P. disse...

engraçado é pensar que em portugal se começou a fazer legendagem porque a dobragem eram mais cara, caso contrário também tinhamos sido presenteados com vozes espectaculares lol
damos graças a dEUS pela falta de dinheiro em portugal nesses anos :)

Mnemósine disse...

Pois, P., só nesses mesmo...