11 julho 2010

Ignóbeis

Esta situação é tão idiota que me faz sair do meu descanso do fim-de-semana para falar de assuntos sérios.

Uma pessoa que ocupa um lugar de topo numa instituição pública, a Direcção Geral das Artes neste caso, demite-se por entender que existem demasiadas divergências de opinião (sobre politicas de apoio às artes) entre a sua pessoa e a tutela (Ministério da Cultura) para que ali continue. Por outras palavras, marca a sua posição batendo com a porta.
Ok.
Mas reparem:
O Ministério da Cultura, em comunicado, mostra a sua "grande satisfação" com esta demissão. Satisfação? Por favor... Não fosse já suficiente ainda acrescentam que o homem é "ineficiente" e que tinha "dificuldades em desempenhar o seu cargo".

Quanto à competência do Jorge Barreto Xavier nada posso dizer, não o conheço, sei apenas que tem um curriculum invejável.
Mas que merda é esta de um ministério ter nos seus quadros uma pessoa que considera ineficiente?? Não admito que um cargo de nomeação seja ocupado por pessoas que têm dificuldades em desempenhar o seu trabalho...mas afinal para que existe um Ministério da Cultura neste caso? Para se sentir satisfeito (quase oiço um suspiro de alivio) por não ter que despedir alguém? 
Senhores, idiotas é o que vocês são por emitirem um comunicado em que se ridicularizam totalmente, ao porem a descoberto a maior podridão que existe no nosso executivo: pessoas que não sabem o que fazem. Onde é que alguma vez, por mais divergências que existam, um ministério pode mostrar grande satisfação por um membro da sua equipa (directa ou indirectamente) se demitir por deixar de acreditar naquilo que ali estava a fazer? O que aconteceu à ética profissional quando uma pessoa que é convidada a exercer um cargo (e que pode ser posta na rua à mesma velocidade com que foi posta no cargo) é em oficialmente adjectivada como ineficiente? 
Vão para a escola, a ver se aprendem alguma coisa. Ou escondam-se num buraco bem fundo.

(a incompetência irrita-me, o que querem que faça?)

1 comentários:

Di disse...

profundamente... irritar é apelido! tira-me completamente do sério e apetece-me fazer da cabeça dos ditos ignóbeis alvo para o meu martelo imaginário. 'pronto, agr sim reduziste-te à tua insignificância', obrigada!