21 abril 2010

As empregadas de limpeza

aka mulheres a dias aka encarregadas de gestão doméstica. O que quiserem.

Estas senhoras podem ser umas santas ou uns pequenos diabos. É uma questão de sorte. 
A maioria das pessoas tem imensos escrúpulos em despedir uma empregada de limpeza que não faz o seu serviço. Eu não faço parte da maioria: acho que se qualquer pessoa é despedida por não fazer o seu trabalho devidamente com este serviço é exactamente o mesmo. Para meu azar (con)vivo sempre com pessoas que se incluem na referida maioria. E depois dá nisto:
A primeira senhora que me lembro de ver trabalhar em minha casa tinha uma deficiência qualquer, articulava mal as palavras e nunca tinha aprendido a ler ou escrever (foi o que fixei). Quando havia coisas especificas para fazer a minha mãe telefonava-lhe no dia anterior ao dia em que ela lá ia a casa para lhe dizer para o fazer. Limpar janelas. Trrim-trrim recado adeuzinho. Chegava-se a casa e as janelas estavam na mesma. Triim-trrim "então porque não limpou?/ Ah, a seguir chove e ficam sujas outra vez." Lá ia a minha mãe lavar janelas. 
Uma vez a minha mãe comprou um fato, chegámos a casa e a senhora ainda lá estava a passar a ferro. "Já agora dê-me um jeitinho aqui no fato" Pimbas ferro directamente em cima das costas do casaco (para quem não está a ver o estrago, ficou cheio de lustro). 
Tshirts com os estampados queimados era mato. Ainda tenho uma nesse estado (isto já foi há anos, podem imaginar, mas é uma tshirt "de colecção").
Uma vez chegamos a casa e estava a senhora a passar a ferro. A roupa dela. Era paga à hora.
E agora a melhor. Uma vez a senhora apanhou o susto da vida dela quando a meio da manhã, julgando-se sozinha lá em casa, lhe apareceu um homem nu à frente. (homem esse que também se julgava sozinho e que tinha acabado de acordar).

Ia contar histórias de outras pessoas mas isto já vai longo.

7 comentários:

GATA disse...

Eu tenho azar com os homens e com... as "técnicas" de limpeza!

Por isso, agora, quem é a "técnica" sou eu! É uma carga extra para mim, mas garanto-te que a casa fica num "brinco"!!! :-) Hum, acho que vou mudar de profissão, desconfio que ganho mais a dias que a mês...

Então toma um 'cromo' para troca: a minha mãe teve uma "técnica" que usava os perfumes dela. Um dia a minha mãe apanhou-a a perfumar-se (bata incluida!) e foi um escândalo! RUA, nesse mesmo minuto!

almighty yellowphant disse...

eish essa do homem nu... nem imagino.
eu tive uma que me irritava tanto , mas tanto... ia limpar o meu quarto e (esta sabia ler) metia-se a ler os meus cadernos. Não acho normal. Claro que eu.. Reclamava né? A mulherzinha, certo dia chega à mãe e diz-lhe: Olhe isto assim nao dá, vou-me embora porque a sua filha está sempre a imbirrar comigo --'
Quer dizer... Claro que tenho que reclamar. pagam-lhe para limpar e nao para cuscuvilhar as minhas coisas!

Beijinhos

Anónimo disse...

olha, se passasse tu a roupa a ferro, limpasses janelas, já não criticavas as "técnicas de limpeza". Experimenta fazer disso profissão e vês o que doí.

Este Blogue precisa de um nome disse...

Ah ah ah ah ah ah ah ah ah

Adorei o post. Mas nem sei o que adorei mais, se o post se o comentário do anónimo.

Ah ah ah ah ah aha ha ha

Muito bom ;)

Miss Kin disse...

No meio disso tudo, quando é que foi despedida?

Mnemósine disse...

Miss Kin no meio disto tudo, e porque era a minha a mãe quem mandava (claro), nunca foi despedida. Foi dispensada apenas e só porque mudámos de casa.

Mnemósine disse...

Anónimo, muito obrigada pelo comentário.
Eu passo a ferro, lavo roupa, loiça, janelas e chão, esfrego sanitas, forno e electrodomésticos. Também arrasto moveis para limpar atrás e até limpo em cima de moveis altos.
Felizmente não preciso de me dedicar a essa profissão já que trabalho noutra área mas posso garantir-lhe que se fosse empregada de limpeza teria sempre tudo impecavelmente feito, sem cuscar os cadernos dos empregadores ou gastar os seus perfumes.
Tudo isto para o/a deixar mais descansado/a. Lá no estaminé onde trabalho também critico aqueles que não fazem o seu dever. Same shit, different job.