15 março 2010

No meu tempo a vergonha não era assim

A realidade em que vivemos muda constantemente. Grande novidade. Até é bom, às vezes.
Nas minhas divagações dos últimos dias constatei que a vergonha é uma das coisas que mudou muito e para pior. Hesito se os princípios fundamentais mudaram ou não, opto pelo não. Continuam os mesmos, poucos querem saber deles se isso os impedir de alguma coisa.

Voltando à vergonha, está tudo trocado.
Os pais já não têm vergonha que os seus filhos sejam mal-educados, já não lhes pesa na honra por isso riem-se.
Na escola, os putos não têm vergonha de terem más notas e de serem suspensos por mau comportamento. Vergonha é ser certinho, aplicado e cumprir objectivos. 
Agora têm-se vergonha de se ser pobre, e tudo é pobre se não for proprietário de alguma coisa. Trabalhar que nem um mouro para conseguir sustentar a família e chegar ao fim do mês com pouco? Vergonha.

Mas como muda o povo se os supostos letrados, aqueles que supostamente gerem o país, que o conduzem [para um buraco negro] , são quem faz pior e menos sofre consequências? 
Roubar e ser apanhado, nada de mais, sinal de esperteza por tudo o que se roubou sem ninguém dar por nada.
Em época de crise administradores públicos terem carros de serviço novos que custam mais que a casa de muita gente? É um direito que têm, carro de serviço com motorista. 
Fazerem-se inaugurações faustosas de obrecas públicas, depois de estas terem ultrapassado o orçamento em milhões de euros sem que ninguém peça responsabilidades...também nada de mal, nem na inauguração nem na trapaça.

2 comentários:

formiga disse...

Concordo tanto, mas tanto contigo!!!

sibilunacrafts disse...

*aplausos de pé*

tanta palavra acertada...