08 dezembro 2009

Ódio de estimação XLI

Odeio desperdiçar recursos.
Água e papel, sobretudo, porque são os que noto mais.
Acho que não custa muito fazer um esforço ou pensar as coisas para não desperdiçar. Já não falo em poupar - eu também não deixo de tomar banho só porque isso gasta água - que isso pode já exigir algum sacrifício.
É a tal coisa, se todos mudarmos o bocadinho pequenino que não nos custa nada, a coisa vai indo melhor. A sério! 'Bora experimentar?

Isto parece um discurso mega ambientalista e imbuído do espírito-cimeira-de-Copenhaga, mas é bem menos do que isso.

5 comentários:

Maria Margarida disse...

Reciclar só não chega. Com os belos recusros naturais em força e ninguem, ou praticamente ninguem, os aproveita. O meu grande objectivo é conseguir por paineis solares cá em casa. Um dia....

Miss Kin disse...

A minha mãe fica doente com a minha reciclagem, mas de momento faz-me mesmo confusão que haja tanta gente que não faz e nem sabe onde vai cada tipo de coisa nos separadores...
De resto, só não consigo poupar no banho, não tomo banhos de imersão, nem mto prolongados, mas não consigo fechar a água a meio, fico congelada...

Lebasiana disse...

eu também me passo, mas, apesar de cada vez mais se incentivar a isso, cada vez mais se assiste a falta de consciencia ambientalista,,

jocas

Fuschia disse...

Eu também, mas noto mais isso com o papel. Uso sempre os dois lados, faço blocos de rascunho, uso tudo até ao máximo antes de meter a reciclar. Faz-me espécie quem imprime mails ou notas ou o que quer que seja e depois deita fora a seguir...

de Marte disse...

Definitivamente, há muita Copenhaga a pairar no ar. E ainda bem, digo eu.