23 novembro 2009

(sem título)

Não devo ser só eu a ter esta sensação de que, ultimamente, não há noticias que interessem verdadeiramente ao cidadão.
Há o caso Face oculta, que abanou um bocadinho as coisas quando chegou mas já se pôs a peneira na frente a tapar e, além disso, o Mário Soares até já disse que é um problema comezinho. As novidades nesse caso, apesar da sua gravidade [mas isto sou eu a dizer, olhem que o Soares é muito mais credível], podiam perfeitamente aparecer na revista Caras em vez dos jornais (a que gosto de chamar) sérios. E nos outros.
Há também a esperança (?) dos professores na nova ministra e na sua vontade de alterar o modelo de avaliação imposto. Mas, no fundo, tem sido tudo uma valsa. Anda um para a frente e o outro para atrás, a seguir trocam, depois giram, repetem, mas nunca se tocam. E a música tarda em acabar.
A gripe A tem também sido assunto, poucas vezes por razões agradáveis e nunca para esclarecer o povo, que isso não faz falta. Outra vez, tapa-se o sol com a peneira.

Talvez tudo isto seja muito mais do que me parece. Talvez pessoas mais esclarecidas se sintam num mundo em movimento quando abrem um jornal ou uma janela no seu browser. Eu não, e é tão triste.

4 comentários:

Inês disse...

Não é só não interessar ao povo - é parecer que se diz todos os dias o mesmo.

fuschia disse...

Estou expectante em relação ao novo sistema de avaliação dos professores, mas não ata nem desata..

continuando assim... disse...

sem palavras ... e indignada :)

bj
teresa

Pepper disse...

Foi como o Processo Casa Pia! Ia ser tudo tão rápido e esta semana faz cinco anos que aquela palhaçada começou.
E de pensar que os tubarões do processo ainda andam cá fora e nem constam da lista de arguidos...

É uma tristeza!