05 setembro 2009

A viagem - Bratislava

Bratislava tem um centro histórico relativamente pequeno e os restantes pontos de interesse não são muito longe dali, de tal forma que vimos tudo em 1 dia e meio e ainda nos sobrou tempo. (já agora, à volta da cidade há também alguns pontos de interesse a que não fomos mas que me pareceram valer a pena - se lá forem e tiverem oportunidade de sair da cidade para ir ver outras coisas, saiam).
Apesar de ser pequeno, adorámos. Ao contrário de Praga, ali sente-se o pulso à cidade porque os habitantes circulam dentro das zonas "turísticas" e aproveitam a cidade.
Uma coisa que me espantou (sobretudo como Lisboeta que sou) foi a pouca importância/destaque que dão ao rio (já em Praga tinha sentido isso, mas em Bratislava é demasiado óbvio): prédios de habitação virados para o rio? Não vi. Esplanadas à beira rio? Não vi. Parques e ciclovias? Também não. O único sítio onde se vê o rio com alguma "dignidade" (sim, é um exagero) é o castelo.
No geral, também Bratislava está bem tratada mas têm ainda algum investimento a fazer no turismo para rentabilizarem as atracções que têm.
Achei também, pode ser parvoíce, que têm espírito europeu. Ou seja, que estão a abraçar esta comunidade melhor que outros países como, por exemplo...deixem cá ver...nós?
Em suma, recomendo.
(fotos abaixo)

4 comentários:

GATA disse...

A minha primeira reacção a Brastislava foi "Pronto, já sabemos quem ficou com a melhor parte aquando da separação..." :-)

Comparada com Praga, Bratislava é pequena e discreta. Tal como dizes, vê-se em um dia e meio (eu vi em apenas um dia!)...

Mas, mais uma vez, quando eu fui a Bratislava, a cidade ainda não era um destino turistico: desde cambiar dinheiro no banco até almoçar no restaurante, se não fosse a mimica eu estava lixada! :-) É que, mesmo com Viena a uma hora de distância, os "bratislavos" não falavam uma palavra de alemão... nem de inglês nem de francês...

Ah, lembro que era tudo baratíssimo, comi -e bem- por 3 euros! :-)

Mnemósine disse...

Pois para nós foi bem diferente: falavam mais inglês do que os Checos, o dinheiro já não é problema porque têm euro e os preços dos restaurantes são, mais coisa menos coisa, equivalentes aos da Rep. Checa.

Miss Kin disse...

O meu primo vai morar para lá ainda este ano e por isso não deve faltar muito para ir lá fazer a visita da praxe. Fiquei contente por saber que era um sítio bom de se estar e de visitar.

Mnemósine disse...

Miss Kin aproveita logo que possas! Espero que o teu primo se dê bem por lá - para mim o grande obstáculo seria a língua, de resto achei tudo bem.