24 setembro 2009

Amor de Perdição XXX

Longas conversas.
Daquelas que não são interrompidas por nada nem ninguém, que se prolongam por horas e horas por fazerem esquecer o cansaço e os compromissos do dia seguinte. Porque são as melhores. Versam sobre tudo e sobre nada e nunca, nunca mesmo, se tornam enfadonhas.
Geralmente acompanham primeiro um bom jantar e depois uns copázios, quase sempre em casa de alguém (que é o único sítio de onde não nos expulsam mesmo que já sejam 8h da manhã do dia seguinte) e só acabam porque tem de ser, mesmo que 'tenha de ser' durante 4h até que finalmente, a contragosto, terminam. Sempre com promessas de repetir brevemente.
O brevemente costuma demorar algum tempo.

4 comentários:

Deb disse...

Ah pois é. O que seria de nós sem os amigos?

PQ disse...

Bem verdade.

Rafeiro Perfumado disse...

E sem uns vizinhos compreensivos para com essas conversas?

fuschia disse...

É tão bom!