27 julho 2009

Há gente muito preguiçosa...

Fiz uma encomenda online que era suposto chegar sexta-feira. Como não dá jeito ir aos CTT, organizei-me para estar em casa durante a tarde.
Tocaram à porta uma única vez e quando perguntei quem era pelo intercomunicador não obtive qualquer resposta. Esperei em vão que subissem no elevador com a minha caixa desejada.
Hoje a porteira entregou-ma. O senhor carteiro, que é pago para entregar as encomendas ao destinatário, nem sequer se deu ao trabalho de esperar por resposta ao toque na campainha ou de subir no elevador para ver se estava alguém na morada de destino.
Ah, e tal, aos dias de semana nunca está ninguém em casa durante o dia.
Assim não me espanta que acabe por ir buscar quase todas as encomendas ao balcão. Muita sorte tenho em morar num prédio que tem uma porteira prestável e séria.


E agora vem a frase gasta, mas verdadeira: Tanta gente à procura de trabalho e quem o tem não o estima.

5 comentários:

A miúda das letras disse...

Nunca fiz uma encomenda dessas, mas já sei que quando fizer não vale a pena ficar em casa à espera do senhor carteiro.

Miss Kitty disse...

É que nem digas nada! Estamos naquela altura de receber as cartas registadas das finanças. Pois bem, a campainha do prédio tem estado avariada e as caixas de correio são dentro do prédio. Os ditos senhores conseguem entrar no prédio para deixar o postalinho dos CTT mas não conseguem vir cá tocar à campainha. Dá muito trabalho...:S

BJS*

GATA disse...

O teu carteiro deve ser primo do meu... O meu carteiro até faz melhor: até toca na minha campainha, mesmo não tendo correspondência para mim! Eu dei por isso quando estive de baixa... na 1ª vez passou; na 2ª vez levou sermão e missa cantada - remédio santo! :-)

fuschia disse...

Sim, já me aconteceu várias vezes. Eles simplemente não sobem. Ou porque têm muitas coisas para entregar ou porque é mesmo preguiça, não sei. Mas é muito chato chegar tarde ao trabalho ou tirar o dia para depois ir buscar aos Correios.

Nuvem disse...

A mim já me aconteceu isso... ou pior.
Como infelizmente estou de baixa, j+a me aconteceu ele nem sequer tcar e depois, eu descer e encontrar um postalinho a dizer que não estava ninguém em casa!!!
Claro que levou logo reclamação e teve de vir cá trazer as coisas mesmo...
Também enviava coisas à minha avó, que morava num 3º andar sem elevador, e pagava para lhe ser entregue em mão... pois os srs tocavam e depois deixavam postal e não subiam...
Não é nada normal e acho que tens razão em usar o cliché do "não querer trabalhar"... é impressionante...