13 julho 2009

Dedicação

Folheava a Revista Única e leio o seguinte destaque, num artigo sobre a J.K. Rowling, autora dos Harry Potter:
"Mantenho contacto com a minha filha e ainda no ano passado a vi", diz o português ex-marido de Rowling
Procuro o enquadramento no artigo e fica ainda melhor:
Fala sobretudo da filha, para dizer que não é um pai ausente. E depois a citação acima.

Rio-me porque as pessoas não têm mesmo a noção daquilo que fazem. Talvez a culpa nem seja dele mas...ainda no ano passado a vi?


Na mesma revista está A Pipoca Mais Doce, muito bem. Só não percebi porque se escreve que ela diz que o seu blog tem mais visitantes que o do Pacheco Pereira. Tão fácilzinho de ver que sim.

11 comentários:

fuschia disse...

Não sei se me rio ou choro de pena. Gostava que alguém perguntasse a esse senhor se ele achava se teria conseguido safar-se se enquanto crescia só visse os pais uma vez por ano. O resto era ele que tinha que se desenrascar. A maioria dos casos, tristemente, os pais depois da separação desligam-se dos seus filhos e mais facilmente se apegam aos filhos da nova mulher. Não consigo perceber isso. Parece-me uma coisa demasiado próxima do reino animal e pouco humana.

Mnemósine disse...

É isso, animalesco. E ainda é capaz de se considerar um bom pai.

Pepper disse...

Que totó...

Essa gente dá-me asco!

Beijinhos

ClaudiaMar disse...

A Pipoca está na revista? Amanhã vou comprar ;)
Kiss

paddy disse...

Eu li a biografia da JKR há uns anos e esse homem foi um estúpido pra ela, e depois ainda teve a lata de vir dizer que ajudou a escrever o primeiro livro. Ela fez muito bem em tirar a filha do pé dele, e nem uma vez por ano a devia ver.

Mnemósine disse...

Claudia, não sei se ainda encontras porque é a revista do expresso. Se quiseres digitalizo, manda-me um mail.
Paddy parece que sim, segundo o artigo (que acabei por ler na integra) o dia em que o casamento deles acabou definitivamente ele pô-la na rua às 5 da manhã, sem nada.

A miúda das letras disse...

Há realmente uma falha de comunicação e/ou entendimento qualquer nesse artigo. Esperemos que o senhor não seja mesmo um pai ausente e que veja a filha mais que uma vez por ano.

S* disse...

Desculpem lá... Mas eu ontem li a reportagem com o senhor no Expresso. E se a filha vive em Inglaterra e ele em Portugal, milagres nao acontecem. Ainda por cima com a mãe ricaça e o pai pobretainas.

Não é justificaçao, claro! Mas é preciso ter noçao da realidade,

Mnemósine disse...

S* daí eu dizer que a culpa pode nem ser dele mas ele acha que não é um pai ausente. E que ainda (!!!) no ano passado a viu.
Por exemplo, eu digo que ainda no sábado vi o meu amigo mas que já há 2 meses que não o via.

fuschia disse...

Sim, a questão não é ser pobre e a mãe rica, é obvio que pode não ter opção de a ver mais vezes. É a atitude de "olha eu a esbanjar paternidade". Há coisas que acho que para se dizerem mais valia estar calado.

Maria disse...

Por vezes dizem-se coisas sem se pensar. Deve ter sido o caso..

beijinho.