11 junho 2009

Amor de Perdição XV

Ir ao aeroporto.
Sobretudo às chegadas. Excepto quando vou como utilizadora, nesse caso gosto mais das partidas.
Gosto de ver as pessoas à espera, impacientes a olhar para os quadros de minuto a minuto, a olhar para as portas de cada vez que alguém sai, a tentar arranjar um sitio onde consiga olhar lá para dentro como se isso fosse apressar a chegada das malas (que são quase sempre a causa de tanta espera). E depois, claro, gosto de ver os encontros. Os quentes e os frios. Os abraços demorados que tiram o ar, os beijos apaixonados. Os apertos de mão de quem está mais que habituado a estas coisas, de quem se viu ainda há dois dias atrás ou de quem não quer mostrar demasiado entusiasmo (mesmo que tenha subido metade da rampa só para dar esse aperto de mão 10 segundos mais cedo).
Hoje vou buscar a minha mãe.

5 comentários:

Monica disse...

Já dizia alguém, num filme qualquer: "Whenever I get gloomy with the state of the world, I think about the arrivals gate at Heathrow Airport. General opinion's starting to make out that we live in a world of hatred and greed, but I don't see that. It seems to me that love is everywhere. Often, it's not particularly dignified or newsworthy, but it's always there - fathers and sons, mothers and daughters, husbands and wives, boyfriends, girlfriends, old friends. (...) If you look for it, I've got a sneaking suspicion... love actually is all around."
Muito lamechas, mas cada vez que chego a um aeroporto ou vou buscar alguém, lembro-me sempre disto...

Mnemósine disse...

Mónica é mesmo uma boa citação! obrigada!

Monica disse...

Eu tinha cá um feeling de que iria gostar...Há já algum tempo que sigo o seu blog -já nem me lembro de como cá cheguei- e desta vez não consegui ficar caladita no meu canto :-)

Mnemósine disse...

Mónica nem é preciso ficar caladita no canto! Eu gosto que comentem, é sempre um gosto ter interacção com quem me lê! :)

de Marte disse...

Estive num aeroporto há uns dias, nas chegadas. Estive com uma amiga a verificar isso mesmo: como há amor e expectativa e saudade. E em como se traduz por gestos esses sentimentos de quem espera o regresso ou a visita de alguém.
É tão bom, é tão bonito que emociona.
Receber alguém nos braços como se aquele momento preenchesse todo o dia.
Adoro as Chegadas, é um facto! :)