05 maio 2009

Os McCann na Oprah (pela ultima vez que já enjoa)

Pffffffffffffffffffffffffffffffffffff
Não era preciso dizer mais nada mas vou desenvolver.
Cada vez que dão uma entrevista aparece mais um pormenor que nunca ninguém tinha ouvido.
Gostava de salientar duas coisinhas pequeninas:
  1. a Kate enganou-se numa coisa e preparou mal o discurso, saiu-lhe mal quando fez um comentário em que deu a entender que o seu pensamento foi directo para a Madeleine. Estava ela a dizer que o amigo se ofereceu, no restaurante, para "ir ver a Madeleine" ao quarto, ao que ele teria respondido "Não, eu vou ver a Madeleine"...quando se tem uma criança com 3 anos e duas com 2 isto não me parece plausível. Oh mães, digam lá, alguma mãe pensa "Ai a minha Maddie!" em vez de "Ai os meus filhos"?
  2. O Gerry disse em jeito de "única" critica à investigação e sistema judicial português que quando o processo foi arquivado receberam um dvd com o processo em PORTUGUÊS (foi ele que enfatizou esta parte). Estavam à espera do quê? Estavam em Portugal, queriam que o processo fosse traduzido só para eles? Por favor (please)
Quanto à Oprah, que entrevista tão fraquinha. Parecia seguir o guião dos McCann.

8 comentários:

Marisa disse...

AAAIII esqueci-me de ver isso ontem!! Não repete?

ML disse...

Também vi esse teatro. E que fraquinho.
Tal como tu, reparei nesse pormenor do amigo dizer "não, deixa estar que eu vou ver a Madeleine" - isto no "check" das 21.30.
Às 22h foi a vez dela, e foi aí que viu tudo.

Amigos, um grupo de adultos, que deixam 8 crianças sozinhas em várias casas, e vão para um jantar demorado e com vinho...não me venham com tretas que de 30 em 30min se levantavam e lá iam eles.

Enfim, fantochada.

Mnemósine disse...

Marisa, não sei mas suponho que repita na sic mulher daqui a uns tempos..
ML, totalmente de acordo. E se fosse só isso eu ainda acreditava neles mas é só incoerências e manhas.

Allie disse...

Não vi, mas pelo que ouvi a Oprah limitou-se a fazer a entrevista do coitadinho. Se é para apurar a verdade que levasse em conta os inúmeros e-mails que lhe foram enviados com todas as dúvidas por esclarecer. Se a intenção foi apenas focar o desaparecimento da criança, escusava de os fazer parecer vítimas. Só há uma vitima e parece ser tratada até pelos próprios pais como uma coisa. Coisa essa que até agora lhes deu muito dinheiro a ganhar.

Não sei se a mataram, se sabem o que lhe aconteceu. Só sei que foram negligentes e tratados como reis sem mácula. E de uma forma ou de outra eles serão sempre culpados pelo que possa ter acontecido a essa criança.

Debbie disse...

Têm estado a dar alguns excertos em todos os telejornais e julgo que, a partir daí, dá para apanhar as partes principais.
Pareceu-me estranho não terem existido críticas à Justiça portuguesa, quer da parte dos McCann, quer da parte da Oprah. Acho este pormenor, no mínimo, intrigante, atendendo à polémica que envolveu este caso; e como a Oprah adora explorar polémicas, parece-me estranho ter evitado esse assunto. Tudo me soa, por isso mesmo, a discurso encomendado.

fuschia disse...

Não consigo acreditar que tenham sido os pais, mas acho que mesmo que estejam inocentes, teem rabo preso em relação a deixarem os miudos sozinhos e é notório que inventam histórias e teem vindo a romantizar o assunto.

Xázinho disse...

Também vi a bendita entrevista e achei aquilo tudo tão "ensaíadinho"...Este caso cheira a esturro por todo lado...irra!

vcrc disse...

Podia dizer as 1001 coisas que penso em relação à culpa dos pais prefiro acreditar que a verdade um dia virá à tona e que eu pelo menos me deito todos os dias de consciencia tranquila. :)