31 dezembro 2008

A todos um 2009 melhor que 2008!

5 comentários

(o que não sendo muito, já é alguma coisinha)

A todos saúde!

A todos amor!

A todos alegria!

A todos um emprego onde vos paguem!

A todos um tecto!

A todos inspiração para serem felizes!

A todos inspiração para fazerem alguém feliz!

A todos inspiração para aquilo que fazem melhor!

A todos orientação para encontrarem sempre o vosso caminho!


30 dezembro 2008

Lisboa cheira a podre

2 comentários
Mesmo estando com uma gripe forte e passar grande parte do dia sem acesso aos aromas e caladinha (dói-me falar), tenho que registar isto: Lisboa cheira a podre.
E não é de hoje, que um dia ainda se admite. Já dura há uns dias. E quando digo que cheira quero mesmo dizer que cheira, literalmente. É horrivel.
Amanhã já é dia 31 e ainda não tenho planos para a passagem de ano.

27 dezembro 2008

Este Natal

2 comentários
Foi mais um Natal em que a maioria dos membros da familia parecia estar de mal com a vida, tudo de "trombas", com cara de "todos me devem, ninguém me paga". Ainda assim foi Natal, graças àqueles que optaram por entrar no espirito e contribuir com aquilo que tinham (a guitarra, a voz, as piadas, a boa disposição). Apesar disso voltei a ficar com a sensação de que teria valido mais a pena ficar em casa só com o núcleo-duro, onde a paz e o amor estão garantidos e as "trombas" (acaso as haja) têm uma razão.
Não vou estar para aqui a dizer que nesta época o que conta são apenas a paz e o amor. Se assim fosse não teria perdido três tardes das minhas férias enfiada em lojas, com vontade de dar umas lições de boa educação a umas quantas pessoas e/ou de voltar para casa e passar o resto do dia de papo para o ar. A verdade é que adoro oferecer presentes e adoro recebê-los também. E é muitas vezes nesta época que me apercebo da atenção e dos cuidados que as pessoas me dedicam. Bem sei que não o devia fazer mas observo o esforço que as pessoas fizeram ao tentar escolher uma coisa que seja do meu agrado, mais do que simplesmente comprarem uma coisa qualquer, que até pode ser muito cara, mas que quem me conhece sabe que não vou gostar. Estou a falar de se darem ao trabalho de perguntarem ao sweetheart, disfarçadamente, qual é/são o/s perfume/s que uso em vez de comprar um qualquer a partir de catálogo em que só pela caixa já sei que não vou usar. Quem compara isto compara o porta-chaves feito em casa (que mesmo que não venha a ser usado, já faz parte da colecção) com o bibelot da loja xpto que nem sequer encaixa na decoração da casa.
Já sei, é a festa da familia, não a das prendas. Mas eu reparo nestas coisas, o que é que posso fazer?

24 dezembro 2008

Um mimo para A Elite

2 comentários

E também para todos aqueles que por aqui passem hoje.

Black Caipiroska

2 comentários
Fosse eu uma pessoa de vícios e esta seria a minha mais recente aquisição nesse campo.
-
-
Já agora, Feliz Natalinho!




22 dezembro 2008

Odisseias

4 comentários
Nestas andanças de compras, entre confusões para entrar em escadas rolantes e filas interminaveis, fui constatando umas coisinhas. Mentira. Fui supondo umas coisas a partir de indíces fortes.
Lembro-me que durante a adolescência eram muito poucos os amigos a quem oferecia presentes de Natal ou aniversário. Tinha um grupo de amigas onde cada uma dava X e juntavamo-nos para comprar os presentes para cada uma, sem ultrapassar esse valor.
Mas por estes dias passei por vários grupos de miúdos com os seus 14-16 anos que só falavam de comprar para este e para o outro. E não eram caixas de chocolate do Continente. Eram carteiras, pijamas, roupa, ... Acho que aquela geração não está em crise.
Nos entretantos, numa fila precisamente para um jovem acompanhado por duas amigas pagar um pijama para oferecer, pela conversa que ouvi (não me esforcei, estavam mesmo atrás de mim!) percebi a necessidade que têm de etiquetar as pessoas e de pertencer a um estilo. Também percebi que estou completamente desactualizada nesta coisa dos estilos e que o rapaz é completamente gay e ainda não descobriu.
Ainda me faltam presentes mas já não posso mais.

21 dezembro 2008

Adoro quando ele me faz rir

5 comentários
E às vezes faz isso tão inocentemente.
O sweetheart às vezes vem contar-me grandes novidades (do mundo, do nosso mundo ou alguma curiosidade), todo contente e senhor de grandes verdades. Algumas dessas vezes tenho de lhe dizer "Eu sei, fui eu que te contei isso."...
Já lhe disse que devia fixar as fontes, mas ele nada.

20 dezembro 2008

Ocupadissima

3 comentários
...é o que eu estou.
Amanhã tenho almoço e jantar de Natal intervalados pelas compras de Natal e deixo pendurados uns quantos afazeres de Natal e de outras andanças.
Estou cansada, precisava de dormir. Tenho uma dezena de filmes atrasados no cinema (a maioria ficou para DVD), uma centena de livros atrasados na estante (na minha e na da livraria).
E enquanto penso nestas coisas (pouco) importantes vou somando as notícias que ouvi nos últimos dias acerca da libertação de pessoas que alegadamente cometeram crimes e de mais um assalto armado em Lisboa.
Relutante, sigo a minha vida porque não posso fazer nada mesmo.

18 dezembro 2008

Já só falta um dia!

2 comentários
falta um dia e vou estar de "férias". falta um dia.
Ainda tenho que ir comprar as prendas todas, mas é Natal e eu gosto tanto! (tem dias)
Um diazinho que vai custar muito, mas que é um.
Ah!...

17 dezembro 2008

Esta coisa da blogosfera

9 comentários
Já andava a pensar neste assunto há uns dias, mas o post da Leididi deu o mote para este.
Acho um piadão e um fenómeno sociológico muitíssimo interessante, esta coisa da blogosfera.
Todo o santo dia (quase, para não ser mentirosa) visito à volta de 20 blogs de pessoas que nunca na minha vida vi, com quem nunca falei directamente e que muito provavelmente, na sua maioria, não sabem mais de mim do que o facto de assinar Mnemósine.
(quase) Todo o santo dia tenho o prazer de entrar num bocadinho da vida dessas pessoas e em alguns dias até me dou ao luxo de meter o bedelho e de fazer comentários que não me foram pedidos (duas coisas que não faço noutras esferas).
E todos os dias (então hoje nem vos conto) leio alguma coisa que sinto que foi escrita para mim, em discurso directo.
E há pessoas que considero minhas amigas com quem não falo há imenso tempo e que neste momento sinto que conheço menos bem ou que sei menos sobre elas do que sobre alguns bloggers (claro que pode ser apenas impressão minha).
E por isso e por outras razões considero-me amiga de alguns bloggers (ainda que não considere o inverso, é uma amizade unilateral mas é mesmo assim, está tudo bem) e dou por mim a ficar contente com as boas noticias, a rir-me dos acontecimentos imprevistos, a querer oferecer a minha ajuda nos momentos mais difíceis.
Isto, claro, tem muito a ver com a pessoa que sou - uma parva igual à minha mãezinha. Mas é giro. Eu acho. E sou feliz, assim.

16 dezembro 2008

P.S.

5 comentários
Também não gosto das pessoas que usam os filhos pequenos para mendigar. Principalmente quando as crianças não apresentam qualquer sinal de passarem necessidades além da de brincar.

15 dezembro 2008

Torturas natalicias

2 comentários
Eu o-d-e-i-o pessoas que tocam musica no metro.
Ou que fingem fazê-lo ou que tentam muito pobremente.
Se o instrumento de eleição for o acordeão, então abomino-as.
Se vierem acompanhadas por um cãozito pendurado no ombro com um cesto para as moedas na boca esses tocadores de pseudo-Jiggle Bells são, para mim, inqualificavelmente detestáveis e dignos de uns belos sopapos que nunca serão entregues.
*Nota: se essas pessoas aceitarem largar os instrumentos, estarem quietinhos e alimentarem o animal, então já voltam a ser aceitáveis.

13 dezembro 2008

O problema das modernices

5 comentários
O problema das modernices como os computadores portáteis é que depois de passar dois dias em casa, sentada no sofá, a trabalhar com o dito laptop no colo durante mais de 12h quase sem parar, tenho as costas num estado lastimável. Estou que nem posso e ainda tenho umas horas de trabalho pela frente.

12 dezembro 2008

Há cada uma..

5 comentários
No metro, em hora de ponta, hoje. Para quem quisesse ouvir.
.
Fedelha com uns 10 anos: CALA-TE!
Mãe: Olha que eu sou tua mãe, respeita-me.
Fedelha: CALA-TE!
Mãe: Bom, vamos lá ver...
Fedelha: Vamos lá ver o quê?Está mas é calada.
Mãe (para uma terceira senhora que suponho ser a avó): Não volto a fazer outra filha com o mesmo pai, para me sair assim...
Fedelha: Não te estiques!
Mãe: (repete o que acabou de dizer, mais ou menos nas mesmas palavras)
Fedelha: ESTÁ CALADA, JÁ TE DISSE!
.
E a coisa continuou, já não ouvi mais.
.
Quem é que precisa mais de ajuda? A mãe ou a filha?

11 dezembro 2008

Manoel de Oliveira

2 comentários
Goste-se ou não do trabalho do mais velho realizador do mundo em actividade (ou será já de eliminar esta parte?) é para todos invejavel chegar aos 100 anos naquela forma e, nem que seja só por isso, quero aqui deixar os meus Parabéns a este senhor.

10 dezembro 2008

Bom dia, se me puder atender por favor, obrigada

1 comentários
A propósito das reclamações da Clementine Tangerina...
Em Portugal não se tem a noção de serviço público. Ser bem atendido (ou apenas eficientemente atendido) é coisa tão rara que quando acontece ficamos surpreendidos.
Parece que fazem especial favor por fazer o seu trabalho, nem pensar em ficar mais um minuto depois da hora para acabar de atender alguém, "bom dia" "boa tarde" ou "de nada" nem ouvi-los e ai de quem lá vá fazer perguntas que as pessoas têm é de estar informadas.
E não interessa se falamos de funcionários públicos (que teoricamente têm o lugar seguro) -como nas Lojas do Cidadão, Juntas de Freguesia, Câmaras Municipais, etc - ou do sector privado. Às vezes nem os que são contratados para atender sabem atender.
A todos esses: caríssimos, toda a gente faz o seu trabalho diariamente e vocemecês ao fazer o vosso não estão a fazer favor a ninguém, estão a ganhar o vosso €.

08 dezembro 2008

Porquê?

4 comentários
Porque é que as pessoas que passam pela nossa vida e depois desaparecem ficam sempre com qualquer coisa emprestada? E porque é que tem sempre que ser uma das nossas favoritas... um dos melhores livros, um dos melhores filmes, ....?

07 dezembro 2008

Estou cansada

1 comentários
Duas viagens de 250km cada, no mesmo dia e a segunda sempre debaixo de chuva e com fases de nevoeiro para uma inauguração, uma missa de 7.º dia e um jantar, num fim-de-semana em que tenho mais que muitas coisas para fazer.....não compensou. Felizmente amanhã é feriado.
E como é bom ter uma semana de quatro dias úteis. Duas então...

05 dezembro 2008

Pensamento idiota do mês

3 comentários
Este ano não escrevo carta ao Pai Natal, em vez disso vou escrever à Marisa Cruz.

04 dezembro 2008

Se não for pedir muito

9 comentários
Tirem-me isto da frente!!


Deixem lá...já comi todos mesmo...

Greve dos professores

4 comentários
Os numeros do ministério da educação são de 67% de adesão e 30% de escolas encerradas.
Parece que alguém disse que as escolas estavam a funcionar. Assim sendo está tudo bem, se as escolas funcionam sem professores não precisamos deles para nada, deixem lá as pessoas em paz a tratar das burocracias todas que a criançada vai ficando pelas escolas que funcionam mesmo sem professores.
Há cada um...

02 dezembro 2008

Rafting?

2 comentários
O fim-de-semana de rafting não teve rafting. Ainda esteve quase para ter kayak, mas faltou o quase.
Portanto o fim-de-semana passou a ser um fim-de-semana de amigos, com aniversário incluido e umas partidas de paintball em ambiente natural. E tiro ao alvo com arco e flecha. E umas cartadas. E almoços e jantares regados. E conversa.
Foi giro, portanto.
O rafting ficou para Abril.
.
Esteve foi um frio daqueles....já sei, "menina de Lisboa sabe lá o que é frio"... mas para nós foi mauzinho e até foi por causa disso que não houve kayak para ninguém.
.
Já agora fica a publicidade: Hotel Rural Casa de São Pedro em Castelo de Paiva. Alojamento e actividades, tudo lá.